A resolução de 2022 do Grêmio é das mais óbvias dos últimos tempos. Do primeiro minuto deste novo ano, o pensamento certamente estará no retorno para a Série A ao final da temporada.

Com o rebaixamento ainda amargo na festa da virada, o clube gaúcho vai almejar a conquista de títulos em 2022. Palavras do próprio presidente Romildo Bolzan em entrevista ao ge: além da Série B, quer o penta do Gauchão e a Copa do Brasil.

Óbvio, é uma maneira de colocar objetivos para o ano. Mas o grande e principal será, sem dúvidas, conquistar a taça da Série B e confirmar a volta para a elite do Brasileirão. O Tricolor precisa de resposta na temporada após expectativas altas e um fracasso maior que o esperado em 2021.

— O que temos que fazer é todo esforço para esse grupo dar liga suficiente para gente fazer um time comprometido, para vencer o Gauchão, a Copa do Brasil e vencer a Série B — disse Romildo.

Novo time para a Série B

Enquanto isso, o Grêmio também tem objetivos no mercado. Depois do acerto com Diego Souza para a permanência em 2022, a intenção é contratar um meia. O nome é o de Benítez, ex-Vasco e São Paulo, que pode ser anunciado nos primeiros dias de 2022.

O clube gaúcho já contratou o lateral-direito Orejuela, o lateral-esquerdo Nicolas, o zagueiro Bruno Alves e o atacante Janderson. Benítez fecharia a conta no meio, enquanto Sorriso tem possibilidade de reforçar o setor ofensivo

Numericamente, o grupo ainda precisaria de um zagueiro para a temporada, até por conta da longa recuperação pela qual Kannemann precisará passar — a previsão de retorno após cirurgia no quadril é apenas para abril. Cacá, ex-Cruzeiro, foi sondado e pode chegar do Japão.

Atenção para as finanças

Saídas também precisam ser definidas nos próximos dias. Paulo Miranda, por exemplo, não ficará no Grêmio para 2022, mas o destino é incerto. Outro que deve sair é o atacante Everton. Darlan tem negociação em andamento para atuar no Juventude.

Administrativamente, o ano também reservará dificuldades para adequação financeira. A diretoria planeja que os primeiros dois meses sejam necessários para que o Grêmio consiga se adaptar à nova realidade com menos receitas. A folha salarial deve cair pela metade.

Além disso, a intenção é evitar demissões no quadro de funcionários. Ainda não se tem a garantia que será possível. A projeção é buscar novo superávit, como ocorreu nos últimos cinco anos.

Política vai ferver

Romildo Bolzan deixará presidência ao fim da temporada — Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG

Romildo Bolzan deixará presidência ao fim da temporada — Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG

Ao final de 2022, o clube viverá um momento conturbado, como já é possível prever. O Tricolor tem eleições presidenciais e para o Conselho Deliberativo a ser realizadas nos últimos meses.

Se durante 2021 o assunto invadiu os bastidores do clube, o ano do pleito certamente irá reservar novos debates. O presidente Romildo Bolzan não pode buscar a reeleição. Precisará definir com seus pares quem será o possível sucessor. Outros candidatos já se movimentam em conversas por alianças.

Isso, claro, são só as situações iniciais para a temporada. O Grêmio certamente precisará ajustar outros problemas com o andar da carruagem e renovará objetivos com o processo em andamento.



Veja também