Foto: Reprodução

Depois de treinar com bola pela primeira vez com o grupo principal, na manhã desta terça-feira, o centroavante Felipe Vizeu foi apresentado oficialmente como jogador do Grêmio em coletiva no CT Presidente Luiz Carvalho. O atleta de 21 anos ressaltou que “bateu o pé” para assinar contrato com o Tricolor porque achava que era o melhor para sua carreira. Ele, que chamou o técnico Renato Portaluppi de “ídolo” e “gênio”, garantiu que o treinador foi importante para sua escolha e revelou que tem o sonho de ser artilheiro e campeão da Libertadores.

“Esse é o desejo do jogador, ser artilheiro, mas o mais importante é ser campeão. Eu quero fazer meus gols, ajudar o Grêmio. Tô aqui para lutar, ajudar a equipe e se Deus quiser vamos ter um caminho de sucesso. A Libertadores, sem dúvidas, tenho o sonho de ser artilheiro e campeão. Tenho certeza que estamos no caminho certo para conquistar isso aí”, comentou o jogador, que projeta uma temporada de muitos gols e dedicação para ajudar o clube nas diferentes competições que serão disputadas ao longo do ano.

Contudo, ele minimizou a disputa pela titularidade no comando do ataque gremista e disse que “o mais importante é fazer os gols” e estar sempre disponível. “A gente sabe que a minha posição é centroavante. Além de mim, tem o Jael e o André, que são excelentes profissionais e jogadores. A gente tem que fazer o que é melhor para o Grêmio, sempre que acionado darei o meu melhor. Quem jogar, sei que fará o melhor pelo time”, comentou.

O atleta, que recebeu uma camisa sem número na apresentação, afirmou que jogará com a 47. “Fui campeão da 47 Copa São Paulo e é um número que eu me identifico muito”, explicou. “Como cheguei agora, a gente tem que ter respeito com todos os jogadores. não é por ser centroavante que eu tenho que ser 9, que já é do Jael. Independente do número, o mais importantes é vestir a camisa do Grêmio”, disse. Vizeu contou que tem treinado todos os dias para alcançar o restante do grupo. “Acredtio que a minha parte física tá boa.Venho de muito tempo jogando, parei só por dez dias. Tenho certeza que a gente recupera rápido e já já (sic) estou pronto para atuar”, garantiu.

O centroavante também comentou sua passagem pelo futebol italiano, ressaltando que os cinco jogos em que atuou, sem marcar nenhum gol, foram contra grandes equipes. “Quando a gente, jovens, chega na Europa, tem um certo tempo de adaptação. O futebol na Itália é muito pegado, como aqui. Lá, os treinamentos são muita parte tática, é difícil de ver um trabalho muito coletivo. Na parte defensiva, a maioria joga com cinco jogadores. Lá isso é normal. Para mim, que sou um jogador avançado, é uma dificuldade”, explicou.

Vizeu agradeceu o apoio da torcida “pelo apoio, por estarem presentes, pelas mensagens positivas no dia a dia”. “O que tenho que passar para eles é que vou fazer gols, dar o meu melhor dentro de campo”, disse. Questionado se o Flamengo, time que o revelou, será um dos principais adversários na temporada, ele foi enfático: “estamos falando de dois grandes clubes. Sem dúvidas será rival. O nosso grupo tem muita qualidade, um grupo vencedor. A Libertadores é difícil, tem equipes que farão jogos difíceis e a gente tem que estar atento e dar nosso melhor sempre”, ponderou.



Veja também