Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A arrancada do Grêmio no Campeonato Brasileiro finalmente aconteceu, mas o time segue na zona de rebaixamento. A análise do vice-presidente de futebol, Marcos Herrmann, é que tal sequência positiva dá ainda mais esperança de uma boa campanha no segundo turno que começou neste domingo (12) com vitória por 2 a 0 sobre o Ceará, na Arena.

— O time está crescendo, fisicamente também, e isso é importante no Brasileirão. Temos plantel, não só 11 jogadores. Plantel no sentido literal da palavra, um grupo — enalteceu o dirigente, em entrevista coletiva depois do jogo, comemorando as quatro vitórias nas últimas seis rodadas:

— É uma sequência interessante.

O triunfo sobre os cearenses comandados pelo ex-treinador gremista Tiago Nunes devolveu a confiança ao elenco, que iniciou as duas semanas de trabalho sendo alvo de protesto violento dos torcedores em frente ao CT no começo do mês. Segundo Herrmann, e o técnico Felipão, o ambiente na concentração e vestiário era “excepcional”:

— Eu juro por Deus que na sexta (dois dias após o protesto) ninguém falava no assunto (protesto com vandalismo), o astral era excepcional e foi melhorando à medida que os dias foram passando. Ninguém gosta de concentração, mas os últimos três dias foram muito leves e animados — assegurou Herrmann:

— O resultado apareceu hoje (domingo), fizemos um bom jogo conquistando três pontos que são essenciais para nós.

Os dois próximos compromissos gremistas são contra o Flamengo, no Maracanã. Primeiro, na quarta-feira (15), pelo segundo jogo das quartas de final da Copa do Brasil, onde o Tricolor sofreu uma goleada na ida e o próprio vice de futebol não acredita na reversão no Rio de Janeiro. Depois, pelo Brasileirão, no confronto atrasado da segunda rodada, Herrmann acredita que uma vitória é possível, ainda que não seja provável, nas palavras dele. Em ambas situações há preocupações judiciais sobre a presença de público nas arquibancadas do estádio carioca.

Inicialmente a posição gremista seria de não entrar em campo caso houvesse venda de ingressos e torcedores no estádio. Agora, Herrmann revelou que foi feita uma consulta formal à CBF sobre possíveis consequências em caso de o Grêmio não disputar o jogo. Felipão e seus comandados estão se preparando para a partida sem levar em conta possíveis decisões judiciais nas horas que antecedem a partida.

— Não posso garantir nem estar vivo amanhã, então não dou garantia de entrar em campo. O Grêmio se prepara para jogar. Fizemos consultas à CBF, vamos aguardar o retorno. No nosso entendimento há uma quebra de isonomia. Caso exista a chance de não jogar, isso não vai ser avaliado por um vice-presidente, mas sim por toda gestão capitaneada pelo presidente Romildo Bolzan — explicou o dirigente:

— O ato falho é do Flamengo. É ele que não cumpre o que acorda, não há dúvida, mas temos que avaliar os resultados de um eventual não comparecimento ao jogo. Temos que avaliar isso de maneira a não prejudicar o Grêmio nem no presente nem no futuro.



Veja também