A derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG no Mineirão, nesta quarta-feira (3), em jogo atrasado da 19ª rodada do Brasileirão, gerou protestos da direção do Grêmio à arbitragem. Em entrevista coletiva após o revés, o vice-presidente Dênis Abrahão criticou as decisões dos apitadores, deixando de lado as análises sobre o desempenho da equipe. Apesar do tom das manifestações, ele não acredita que exista a intenção de alguém prejudicar o clube.

— É só contra o Grêmio, o Var. O Campaz foi empurrado na cobrança de falta que resulta em pênalti. O bandeira deve estar com o braço engessado para não subir aquela bandeira. A cada jogo o Grêmio sofre um gol de Var — bradou.

— Isso não é desculpa de perdedor, porque eu não sou perdedor nem o Grêmio é um time perdedor. Somos vencedores, nível mundial. Eu quero isonomia, equilíbrio. O Grêmio tem sido prejudicado nos últimos três jogos. Não vão levar, não vão me tirar para trouxa. Me dizem uma coisa na CBF e aqui fazem outra coisa. Seu Gaciba, por favor, não quero levar vantagem, mas não quero ser prejudicado — complementou.

Questionado se a direção vai fazer algo a respeito da arbitragem do jogo com o Atlético-MG, Dênis negou, mas reforçou as queixas:

— O Grêmio vai reclamar, igual eu to reclamando. Que que vai fazer mais? — disse, cobrando:

— O Var só chama para me ferrar. Onde está a igualdade?

A diferença do Grêmio para o Bahia, 16º colocado, primeiro fora do Z-4, é de sete pontos. O Tricolor gaúcho vai ao Beira-Rio encarar o Inter, no sábado (6), a partir das 19h, pela 30ª rodada do Brasileirão.



Veja também