A nova realidade do Grêmio não demorou uma semana para ser abraçada. O vice de futebol Denis Abrahão defende uma imersão completa do Tricolor na Série B para que possa, enfim, cumprir a promessa de voltar à Série A daqui um ano. O dirigente também detalhou a busca por reforços, acelerada e com situações por fechar, e quem está nos planos para 2022.

Abrahão conversou com a reportagem da RBS TV no início da tarde desta sexta-feira. A primeira mensagem é bem clara: que o Grêmio deixe a vergonha de lado para tratar da Série B. Não por orgulho, mas para abraçar a nova realidade. Que o dirigente promete ser momentânea.

— Se eu não prometesse que escaparia do rebaixamento eu não deveria ter vindo. Se eu não acreditasse que poderia tirar o Grêmio eu não viria. Se eu não acredito que posso trazer o Grêmio de volta para a Série A, não viria. Não acredito que posso ser pentacampeão gaúcho? Não estaria aqui — enumerou Abrahão.O Grêmio vive e tem que viver intensamente esse novo momento de Série B. Caímos para a Série B e vamos ter que viver a éerie B. Depois o Grêmio volta forte, pode escrever.— Denis Abrahão, vice de futebol do Grêmio

Denis Abrahão, vice de futebol do Grêmio — Foto: Reprodução/RBS TV

Denis Abrahão, vice de futebol do Grêmio — Foto: Reprodução/RBS TV

O dirigente gremista também falou sobre a busca por reforços para a próxima temporada e listou os atletas que estarão à disposição. Além de reforçar que tem uma margem de erro muito baixa para buscar contratações.

Confira os principais trechos da entrevista

  • Reforços engatilhados

Já tem bastante coisa aí para gente começar a finalizar, mas tem alguns fatores que são de economia interna. Mas em breve vocês terão novidades. O processo de reestruturação começou, medidas foram tomadas. Nosso plantel está sendo formado.

  • Posições e características que busca

Saiu lateral-direito, esquerdo, Kannemann operado, Diego foi embora. Tenho que contratar essas posições e mais alguns jogadores. Sou adepto do futebol força. Hoje em dia tem duas valências no futebol que são a força e a velocidade. Claro que tem que ter qualidade. Agora um time jogando pra frente, amassando eles, gosto disso, gosto de abafa, dedicação, confronto. A Série B tem que jogar dessa forma. É atacando, indo pra cima, bem estruturado, forçando o adversário ao erro, marcação forte, jogadores viris. Não violentos. Escutem o termo que utilizo. Ocupação de espaço. É dessa forma que vejo futebol.

  • Margem de erro curta

Um impacto na folha de pagamento considerável. Mas não é só o impacto no ponto de vista financeiro, é de qualidade também. Não posso cometer muitos erros aqui. Tenho que ser meio certeiro. As contratações tem que ser pontuais, não posso errar. Meu percentual de erro deve ser obrigatoriamente quase 0.

Não vou contratar o jogador por contratar. Tenho que conhecer o histórico do jogador, isso me preocupa no ponto de vista de contratação de pessoas, seres humanos. Não adianta ter um craque que não esteja comprometido com os objetivos do departamento de futebol. Queremos manter essa transparência em torno dos nossos objetivos. Jogadores entenderem que vão disputar uma Série B. Vamos nos deparar com as dificuldades de uma Série B. Infelizmente é a nossa realidade e não podemos fugir.

  • Quem fica do grupo atual

Te escalo. O Brenno, Chapecó, os dois da base. O Felipe (lateral) está voltando da Ponte Preta, não sei se vai ficar. Geromel e Kannemann. Diogo está conosco, Lucas Silva, Thiago Santos, Ferreira, Jhonata Robert. Ou seja, todos que vocês conhecem. Esses jogadores todos contamos. Com todos que foram falados. Pode haver a saída de algum desses? Pode. Mas aí tem que chegar dois, três. Se não, não vai sair ninguém.

  • Capacidade de investimento

Nosso superávit é muito bom, com base nele dá para se fazer investimento, sim, mas não no curto prazo. Temos que tomar decisões no curtíssimo prazo. Hoje (sexta) de manhã já falei com vários profissionais que me assessoram e temos muita coisa encaminhada, tive reunião com empresário ao meio-dia, outro final da tarde. Já mantivemos contatos com clubes que estamos negociando e alguma coisa deve acontecer de imediato.

Sérgio Vasquez (E) e Denis Abrahão (D) formam a direção de futebol do Grêmio com o executivo Diego Cerri — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Sérgio Vasquez (E) e Denis Abrahão (D) formam a direção de futebol do Grêmio com o executivo Diego Cerri — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

  • Promessa de subir para a Série A

Eu diria assim, se eu não prometesse que escaparia do rebaixamento eu não deveria ter vindo. Se eu não acreditasse que poderia tirar o Grêmio eu não viria. Se eu não acredito que posso trazer o Grêmio de volta para a Série A, não viria. Não acredito que posso ser pentacampeão gaúcho? Não estaria aqui. Tenho em mim que a palavra tem muita força, que o trabalho que desenvolvemos é competente. De vez em quando a gente comete algum equívoco e acaba pagando. Estamos nos preparando para enfrentar um ano árduo, difícil, pouca receita, mas muita vontade, trabalho, noites em claro, muitas reuniões, aconselhamentos, críticas que fazem parte. Mas de peito aberto e com muita vontade.

  • Razões para permanecer mesmo na Série B

O Grêmio é o Grêmio, muito grande, poderoso, vamos retomar em seguida a situação de vanguarda no futebol brasileiro. Passar por esse período de um ano na segunda divisão. Trabalhamos desde sexta passada, preparando um time para disputar o Gaúcho que começa dia 22 de janeiro, a Série B e a Copa Brasil. É um desafio que temos, temos que formar uma equipe muito competitiva. Temos que estar preparados para tudo isso.

  • Maior desafio para o Grêmio voltar à Série A

Arrancar bem no Brasileiro. O Grêmio por sua grandeza tem que arrancar vencendo e seguir vencendo ao longo dos jogos. Vamos montar uma estratégia junto com a comissão que tem que estar sempre entre o primeiro, segundo e terceiro colocado. Campeonato inteiro da Série B. É complicada, não podemos nos descuidar, temos que ter foco, determinação, um plantel preparado para isso. E o Grêmio vive e tem que viver intensamente esse novo momento de Série B. Caímos para a Série B e vamos ter que viver Série B. Depois o Gremio volta forte, pode escrever.



Veja também