Ventos de mudança: André incorpora homem-gol no Paraguai e respira novos ares no Grêmio

Centroavante encerra jejum de quase 3 meses e é decisivo em vitória sobre o Libertad

2 de agosto de 2019 - Às 06:30
Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

A noite desta quinta-feira no Defensores del Chaco foi marcada por fortes ventos. A ponto dos jogadores reclamarem da influência disso dentro das quatro linhas. Pois a ventaniaresponsável por deixar parte do centro de Assunção sem luz também parece ter levado para longe a má fase de André. O centroavante rompeu jejumde quase três meses com dois gols no 3 a 0 do Grêmio sobre o Libertade tirou o peso das críticas dos ombros.

O resultado garantiu o Tricolor nas quartas de final da Libertadores para duelos com o Palmeiras. André incorporou o apelido do comandante Renato Gaúcho, chamado de “homem-gol”, para balançar as redes, o que não ocorria desde o dia 5 de maio. Mesmo sem anotar o primeiro, foi protagonista ao comemorar com Jean Pyerre e dançar ao lado do meia. O vento enfim virou para o atacante.

– Esse vento veio para levar essa má fase para longe e trazer coisas boas não só para mim, mas para o Grêmio que é o foco. Estou feliz pelos dois gols, dá confiança para o atacante, mas mais feliz porque fizemos dois grandes jogos. O gol dá confiança para continuar tentando, arriscar lances a mais. Lógico que tira um peso, o jejum estava longo. Espero que com esses ventos daqui, as coisas comecem a melhorar e a bola comece a entrar mais vezes – definiu o artilheiro da noite para a RBS TV e GloboEsporte.com na zona mista da Arena.

André sorridente após vitória do Grêmio no Paraguai — Foto: Eduardo Moura

Se a desconfiança externa pairava sobre a cabeça de André, abre-se um novo mundo a partir dos dois gols. Antes vaiado, o centroavante foi substituído por Luan e teve seu nome gritado pela torcida gremistapresente no Defensores del Chaco. Algo inimaginável horas antes da partida – nas redes sociais, a reação pela escalação do centroavante era de reclamações e xingamentos.

De Renato Gaúcho, André sempre ouviu palavras de afago e confiança. O treinador recebeu o carinho do jogador de volta após o segundo gol. Quando também houve um abraço coletivo de todos os atletas do banco com o centroavante. Pequenos exemplos que mostram como o jogador é querido pelo grupo.

Paulo Victor, por exemplo, citou espontaneamente o companheiro em uma resposta sobre a partida. Maicon e Jean Pyerre, parceiro de dança, também mostravam satisfação ao falar do centroavante por um bom motivo.

– Sempre o defendi como faço com qualquer jogador pelas qualidades, pelo que representa. É muito querido. Precisava de uma atuação como a de hoje. Sempre teve a confiança do grupo. Teve uma brilhante atuação, tirou o peso dos ombros. Fico muito feliz por ele. O grupo todo o abraçou. Jogará mais tranquilo e renderá mais – apontou Renato.

Com os dois gols, André chegou a cinco anotados em 31 partidas disputadas em 2019 e igualou Felipe Vizeu. Ainda longe dos números que se espera de um centroavante de área, fazedor de gols, decisivo. Mas basta levantar as velas. Agora, o vento está a favor.



Veja também