Foto: Cristiano Munari / Especial / CP

O Grêmio fechou a venda de Tetê antes mesmo que o jogador estreasse na equipe principal. Na avaliação do presidente Romildo Bolzan Júnior, o negócio aproxima o clube da independência financeira — o clube receberá 10 milhões de euros (cerca de R$ 43 milhões) por 45% dos direitos econômicos, além de manter 15% para uma futura venda.

— O Grêmio vem diminuindo a dependência da venda de jogadores para suas receitas. Com essa venda e outras como a do Marcelo Grohe, o Grêmio se encaminha para sua independência financeira. O Tetê, de uma maneira indireta, mas também direta, vai contribuir muito para que o nosso planejamento financeiro avance. Vamos aplicar parte dessa verba na nossa base também. Ele próprio disse que no futuro pode voltar para cá, mas agora tudo foi contemplado. Ele vai numa boa e o Grêmio fica numa boa — garantiu o presidente, antes do jogo contra o Veranópolis.

Para Romildo, a quantidade de bons jogadores no setor ofensivo gremista foi um fator que amenizou a perda e motivou a negociação.

— O Grêmio vendeu um jogador que não jogou conosco ainda, mas o negócio era excepcional. O jogador tinha algumas expectativas, mas na posição dele tem o Everton, Marinho, Montoya, Alisson, Pepê e talvez até o Tardelli. Ele teria um tempo a mais para ter suas expectativas atendidas. E o Grêmio tem na base jogadores com a mesma perspectiva do Tetê. Sabíamos que ele estava desconfortável. Eu, particularmente, não gostaria de vender. Mas, no momento que o representante dele achou que o negócio podia andar, sentamos novamente — explicou.

O dirigente negou que o dinheiro da venda de Tetê possa ser utilizado em uma eventual compra da gestão da Arena.

— Isso é outra construção. Nos dias de hoje, o Grêmio tem muito mais capacidade de crédito. E a estruturação deste negócio não passa pela venda de jogadores — declarou Romildo, que completou. — Falta muita coisa ainda. Temos que vencer a questão que diz respeito às obras do entorno, do Tribunal de Contas, da prefeitura de Porto Alegre, do Ministério Público, da recuperação judicial. Isso não é tão simples assim, me assusta muito quando alguém divulga que na semana que vem vamos assinar — finalizou o mandatário tricolor.



Veja também