Foto: Lucas Uebel

O que define se uma determinada contratação deu certo ou não? A participação decisiva em títulos? O número de jogos disputados? É difícil escolher apenas um fator. Há reforços que chegam sob altas expectativas e decepcionam dentro de campo. Existem também aqueles atletas que ninguém sabe de onde veio, mas que fizeram a diferença nas quatro linhas.

Uendel (2010)

Jogador do Inter desde 2017, Uendel teve uma breve passagem pelo Grêmio em maio de 2010. O lateral-esquerdo foi uma indicação de Silas, que treinava o Tricolor à época, e chegou por empréstimo. O atleta estava no Avaí, que recém havia enfrentado o clube gaúcho pela Copa do Brasil. Uendel chegou para disputar posição com Lúcio, Gilson e Bruno Collaço, mas acabou não recebendo chances e, em setembro, foi repassado ao Flamengo.

Sorondo (2012)

O zagueiro Sorondo fez parte do elenco bicampeão da Libertadores pelo Inter em 2010. No período em que ficou Colorado, no entanto, foram inúmeras as lesões que prejudicaram o andamento da carreira do uruguaio. Ao final do vínculo, foi dispensado. Acabou sendo contratado pelo Grêmio para a temporada de 2012, mas rompeu os ligamentos do joelho direito ainda na pré-temporada. Conforme estava previsto entre as partes, o contrato foi rescindido. Sorondo ainda tentou retomar a carreira no Defensor, mas não conseguiu e anunciou a aposentadoria aos 33 anos.

Douglas Friedrich (2016)

Atuar titular do Bahia, Douglas Friedrich iniciou a carreira no futebol paranaense. Um câncer no testículo, diagnosticado entre 2007 e 2008, quase o impediu de virar profissional. O goleiro chegou ao Grêmio em abril de 2016, emprestado pelo Corinthians. Gaúcho de Candelária, Douglas chegou a ser relacionado para algumas partidas, mas, quando estava ganhando espaço, sofreu uma lesão no tendão do joelho direito. Por causa de uma desavença em relação ao tratamento, o atleta teve o contrato rescindido em setembro daquele ano, voltando ao clube paulista.



Veja também