O Grêmio pode ter o seu primeiro movimento já visando a disputa da Série B três dias depois do rebaixamento concretizado. As primeiras decisões do clube dependem, em um primeiro momento, da permanência ou não do vice-presidente Denis Abrahão.

O dirigente terá uma importante reunião neste domingo com sócio em sua empresa – o cargo de vice-presidente não é remunerado. Além disso, Denis consultará sua família para tomar a decisão se fica no Grêmio em 2022 ou se deixa o cargo. 

O vice de futebol foi convidado pelo presidente Romildo Bolzan para continuar no cargo mesmo antes do rebaixamento ser selado. O prazo de resposta é até a próxima segunda-feira, mas nada impede da solução ocorrer já neste domingo.

Em caso de permanência, Denis será peça fundamental na reconstrução do clube. Após a vitória contra o Atlético-MG e o rebaixamento confirmado, o dirigente falou em entrevista que pensa em seguir com o técnico Vagner Mancini no comando do time, que tem contrato até o final de 2022. O cenário só seria diferente se o presidente Romildo Bolzan Jr. quisesse a troca no comando.

– O Grêmio vem mostrando ao longo dos jogos que vem evoluindo, é o trabalho do professor Vagner Mancini. Por que vou mudar o que está sendo melhorado? – questionou o vice de futebol.

O diretor executivo Diego Cerri e o coordenador técnico Marcelo Oliveira balançam no cargo há semanas. O elenco também passará por mudanças para reduzir a folha. São algumas das missões de Denis Abrahão em caso de sequência.

Denis Abrahão se apresenta ao elenco do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Denis Abrahão se apresenta ao elenco do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Por outro lado, se o vice de futebol deixar o cargo, o presidente Romildo Bolzan terá uma segunda-feira para iniciar a busca por um novo dirigente para o cargo. O ge apurou que a reunião do Conselho de Administração na segunda-feira será determinante para os primeiros passos do clube.

Vale lembrar que outros movimentos ocorreram antes do rebaixamento se concretizar. Sete jogadores foram afastados pela diretoria, entre eles Jean Pyerre. O meia, aliás, está próximo de viajar para a Espanha, onde atuará pelo Deportivo Alavés por empréstimo.

Todos os demais daquela lista não serão aproveitados, tais como Everton Cardoso, Paulo Miranda, Guilherme Guedes e Leonardo Gomes. Já Léo Pereira e Luiz Fernando tinham contrato por encerrar – o primeiro volta para o Ituano e o segundo para o Botafogo.



Veja também