Foto: André Durão

O sucesso recente do Grêmio está atrelado diretamente à capacidade do clube em revelar talentos das categorias de base. E isso cria uma linha de formação bem definida. Pepê tem características semelhantes às de Everton e, se o Cebolinha for negociado, o jovem de 22 anos figura como principal peça de reposição.

Autor do gol de empate na virada do Grêmio sobre o Vasco, na última quarta-feira, o atacante apresenta um início de carreira profissional até melhor que o atual titular. Em 2019, Pepê terá sua primeira temporada completa no elenco de Renato Gaúcho.

Em 2018, o atacante disputou o Gauchão, mas estava integrado ao time de transição. Foi alçado ao grupo principal durante o ano e ficou fora da pré-temporada, por exemplo. Em 2019, cumpriu todos os “estágios” na equipe profissional.

— A gente procurou trabalhar, se dedicar ao máximo para quando tivesse oportunidade, como o professor Renato fala. Três gols em dois jogos contra o Vasco esse ano. O mais importante foi ajudar os companheiros para sair com a vitória — relatou o atacante após a vitória de quarta.

No ano, Pepê tem 11 gols marcados em 42 jogos. É o vice-artilheiro do Grêmio, atrás apenas do Cebolinha, e se consolidou como alternativa principal ao ataque mesmo com nomes mais badalados como Luciano e André.

Caminhos semelhantes, diferença de gols

Everton trilhou caminho semelhante ao de Pepê. Em 2014, aos 17 anos, iniciou no time B na disputa do Gauchão e depois permaneceu no grupo sob o comando de Enderson Moreira. Mas o primeiro ano completo no time principal foi 2015, quando Felipão era o treinador – Roger Machado terminaria o ano. Foram 28 jogos e cinco gols marcados.

Pepê em 2019

  • 11 gols
  • 42 jogos

Everton em 2015

  • 5 gols
  • 28 jogos

Os números do começo de Cebolinha estão abaixo do seu “sucessor”, embora naquele tempo houvesse menos competições para o Grêmio disputar e também um contexto diferente em relação ao rodízio dentro de jogadores.

“Me motiva bastante ser comparado a um cara que hoje é um dos melhores jogadores do Brasil. É tranquilo ser considerado substituto, muito bom para mim, pelo jogador e pessoa que ele é” (Pepê, em julho, ao falar sobre Everton)

Pepê é abraçado por Everton após marcar contra o Vasco — Foto: André Durão

Pepê é abraçado por Everton após marcar contra o Vasco — Foto: André Durão

O sucesso é tamanho que Pepê já começa a chamar a atenção de grandes clubes europeus. PSG, Roma e Porto são algumas equipes que buscaram informações e estão de olho no atacante gremista, embora o Grêmio, na figura do presidente Romildo Bolzan, negue qualquer sondagem.

E a fornada tricolor segue a produzir os próximos sucessores para o ataque. A atual fila tem Ferreira, de 22 anos, artilheiro do Brasileirão de Aspirantes, e Guilherme Azevedo, 19, outro integrante da categoria sub-23.

Com Pepê, Everton e companhia, o Grêmio volta a treinar na tarde desta sexta-feira. No domingo, terá o Gre-Nal 422 pela frente, às 18h, na Arena. Devido ao empate do Inter com o Athletico, o Tricolor manteve a quinta colocação na tabela do Brasileirão.



Veja também