O Grêmio renovou os quadros do seu time de transição na mudança de temporada. Uma nova leva sedenta por chance chega para ser lapidada. Um case de sucesso e exemplo para Santos e Corinthians, por exemplo, clubes em constante contato com o técnico Thiago Gomes, conforme revelou em entrevista ao GloboEsporte.com. O elenco conta com cerca de 60% de caras novas.

O time sub-23 do Tricolor tem como objetivo final entregar o jovem jogador o mais pronto possível para atuar na equipe profissional. Nos últimos anos, especialmente, passaram por ali Jean Pyerre, Matheus Henrique e Pepê, assim como outros jogadores que integram o elenco principal sem o mesmo destaque, como Patrick, Darlan, Frizzo e Rodrigues.

— Os jogadores quando chegam no profissional, todos tinha mais de 20 anos. Nenhum dos que subiram com 19 ou 18 se firmaram. Arthur subiu, não se firmou, desceu pra transição, quando voltou já tinha mais de 20. Matheus, Jean, Pepê, todos bateram com 19 e 20, voltaram, amadureceram e depois virou o que se tornaram. Todos vão passar por isso na sub-23 — disse Thiago Gomes ao GloboEsporte.com.

É um case de sucesso. Alguns clubes como Santos e Corinthians ligaram pra gente pra trocar ideias do sub-23 (Thiago Gomes, técnico)

Novas promessas

Em 2020, Thiago Gomes terá o desafio de comandar 12 novos garotos, ascendentes da categoria sub-20. Os 11 titulares vice-campeões da Copa São Paulo estão nessa leva, mais o contratado Kevin, este já acima dos 20 anos e com contrato até maio. Os jovens, muitos com 18 anos, passam pelo projeto até mesmo para se acostumar a rotinas de profissional fora de campo, como não usar o celular nas refeições e pagamento de multa por atrasos, a famosa “caixinha”. Não só para maturação técnica, portanto.

— É o momento que a gente recebeu maior número de atletas numa só leva subindo da sub-20 para transição. Temos como objetivo adaptar eles ao modelo, não só de jogo, mas de dia a dia e semanal dos jogadores. O que jogador faz no pré-treino, pós, obrigações durante a semana. Meninos tem que se adaptar a toda uma realidade do profissional, cobrança que vai vir, e naturalmente vai subindo a exigência — diz Gomes.

Elias, do time de transição do Grêmio — Foto: Rodrigo Fatturi/Grêmio

Elias, do time de transição do Grêmio — Foto: Rodrigo Fatturi/Grêmio

Dentro das quatro linhas, o trabalho da comissão técnica tem objetivo de colocar os jovens inseridos no modelo pensado pelo time profissional há cinco anos. Além dos treinamentos, a comissão técnica também passa vídeos do próprio Grêmio para os jovens

Dos nomes alçados à transição, os mais destacados na Copinha foram o atacante Elias, o centroavante Fabrício, contratado recentemente, e os volantes Diego Rosa, campeão mundial sub-17 com a Seleção, e Fernando Henrique. Os defensores Matheus Nunes e Heitor também foram citados pelo treinador.

Confira abaixo o grupo completo (em negrito os estreantes):

  • Goleiros: Phelipe Megiolaro, Gabriel Chapecó, Vinícius Garcia e Vinícius Machado.
  • Laterais direitos: Felipe, Vanderson, Ericson e Kevin.
  • Laterais esquerdos: Matheus Nunes, Guilherme Guedes e Jefferson.
  • Zagueiros: Rafael Costa, Emanuel, Heitor João Guilherme.
  • Volantes: Jhonata Varela, Victor Bobsin, Fernando Henrique Diego Rosa
  • Meias: Rildo Rafinha
  • Atacantes: Fabrício, Guilherme Azevedo, Hernandes e Elias

Teste do profissional “desce”

Em 2020, Renato tem usado uma escalação com três volantes no meio-campo enquanto não tem Jean Pyerre e Thiago Neves no pico de suas condições físicas. A formação tornou-se um “plano B” não só para o time principal, mas também para a equipe sub-23. Thiago Gomes usou a formação em dois amistosos contra o uruguaio Atenas, vencidos por 5 a 2 e 2 a 1 antes da parada por conta do coronavírus.

Victor Bobsin e Diego Rosa formaram meio-campo em amistoso — Foto: Rodrigo Fatturi/Grêmio

Victor Bobsin e Diego Rosa formaram meio-campo em amistoso — Foto: Rodrigo Fatturi/Grêmio

A formação também faz parte da adaptação dos jovens a uma necessidade eventual do time profissional. O trio titular é formado por Lucas Silva, Maicon e Matheus Henrique. As opções no banco são Thaciano, Darlan, Frizzo e Lucas Araújo, os três últimos forjados na transição.

— Hoje é um plano B. Renato fala abertamente que Jean Pyerre e Thiago Neves tiveram condições mais avançadas, a ideia é botar o meia de novo e dois volantes. A gente na transição também busca nesse sentido adaptar jogadores. Eles não estão habituados a jogar com três volantes. É normal sentirem dificuldades nas primeiras sessões. Mas os meninos são inteligentes. Chegam com noção tática boa. Em 15 dias de treino conseguimos ter uma evolução impressionante — analisou Thiago Gomes.

Formação como treinador

Thiago Gomes tem se aperfeiçoado na profissão. Não vislumbra agora nenhum pulo para a categoria profissional, seja no Grêmio ou em outro clube. Mas se prepara com foco total na transição. Retirou recentemente a Licença A da CBF e tem em andamento o curso para a Licença da Associação de Futebol da Argentina (AFA).

—Me preparo para minha carreira. É o ponto mais importante sempre. O foco total na transição. Acho que essa questão de profissional muito difícil criar qualquer planejamento. Acima de tudo tenho que estar focado no projeto sub-23. Tudo que acontece pra frente não dá pra ficar criando expectativa. Importante focar no trabalho, deixar os guris mais experientes pro profissional. É um dos nossos objetivos — completa Thiago.

Thiago Gomes, técnico do time sub-23 do Grêmio — Foto: Rodrigo Fatturi/Grêmio

Thiago Gomes, técnico do time sub-23 do Grêmio — Foto: Rodrigo Fatturi/Grêmio

Thiago Gomes foi contratado para o time de transição em 2018. As atividades estão paradas até 23 de março, assim como o elenco principal. No entanto, esta suspensão deve ser ampliada nos próximos dias pela diretoria tricolor.



Veja também