Luis Suárez viveu quase 12 anos da carreira no mais alto escalão do futebol mundial. Entre 2011 e 2022, nas passagens por Liverpool, Barcelona e Atlético de Madrid, conviveu com grandes estádios e estrutura de primeira linha. Agora no Grêmio, o primeiro desafio do astro será a disputa do Campeonato Gaúcho, contra times de condições humildes.

No estadual, o Tricolor fará seis jogos como visitante na primeira fase, em quatro cidades diferentes. Isso porque o time visitará duas vezes Caxias do Sul, para enfrentar os rivais Caxias e Juventude, além de encarar o São José, equipe também de Porto Alegre.

Fora isso, Suárez poderá atuar com o Grêmio em Bento Gonçalves, Ijuí e Erechim, diante de Esportivo, São Luiz e Ypiranga, respectivamente.

Destes, os dois estádios de Caxias do Sul possuem padrão mais elevado, até por se tratar da segunda maior cidade gaúcha. O Juventude, até o ano passado, disputava a Série A do Brasileiro no Alfredo Jaconi, que tem capacidade para mais de 18 mil torcedores.

Já o Centenário, casa do time grená para 19 mil pessoas, também já recebeu partidas da primeira divisão nacional recentemente, em especial quando o Inter não podia mandar seus jogos no Beira-Rio pela reforma para a Copa do Mundo de 2014.

Dos demais, o destino mais “inusitado” para Suárez certamente será Ijuí, caso esteja no grupo para enfrentar o São Luiz. A cidade no Noroeste do estado, de cerca de 84 mil habitantes, fica a 400 quilômetros da capital. O estádio, o 19 de Outubro, tem capacidade próxima de apenas 5 mil pessoas.

Suárez Grêmio x São Luiz — Foto:  Fernando Fruke/FGF

Suárez Grêmio x São Luiz — Foto: Fernando Fruke/FGF

A primeira oportunidade do centroavante conhecer o interior será já na estreia do Grêmio no Gauchão, em Caxias do Sul. Dia 21, um sábado, o Tricolor encara o Caxias, no Centenário, às 16h30. A possível presença do uruguaio fez com que a procura por ingressos para o duelo na Serra Gaúcha aumentasse.

O terceiro lote para a torcida visitante esgotou rapidamente. Desta forma, a direção optou por abrir um novo setor com quantidade limitada de ingressos no valor de R$ 120. Para os torcedores do mandante seguem à venda de ingressos por R$ 80 para arquibancada e social.

A expectativa é que o jogo neste sábado, no Centenário, tenha um público próximo dos 10 mil torcedores.

Realidade parecida no Uruguai

No segundo semestre de 2022, Suárez retornou à América do Sul após 16 anos para atuar no Nacional, clube que o revelou. Eliminado na Sul-Americana para o Atlético-GO, quando atuou nas duas partidas saindo do banco, restou ao camisa 9 apenas o Campeonato Uruguaio.

Dos 14 jogos que fez no torneio clausura, em apenas um Suárez saiu de Montevidéu. Contra o Fénix, o Nacional visitou a cidade de Maldonado, distante 125 quilômetros da capital uruguaia. O confronto aconteceu no estádio Domingo Burgueño Miguel, que comporta 28 mil torcedores.

Há outros times que não são de Montevidéu ou mandam as partidas em estádios menores, mas quatro compromissos de Suárez foram no mítico Centenário, com capacidade para 60 mil espectadores.

A justificativa era óbvia: a renda de bilheteria. Com a presença de Suárez, a chance de equipes pequenas lucrarem com mais público no gigante estádio era maior. Foi o caso de jogos contra Plaza Colonia, Albion e Cerrito, que não costumam atuar no Centenário.

Porém, foi em um estádio na própria capital charrua que mais chamou da passagem de Luisito pelo país natal. Em duelo contra o Liverpool, o primeiro do astro fora de casa, a chegada no modesto estádio Belvedere foi um tanto curiosa.

Um vídeo de Suárez entrando no vestiário de condições simples viralizou na internet. A casa do Liverpool pode receber até 8.500 torcedores.



Veja também