Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Soterrado no Z-4 desde a segunda rodada do Brasileirão, o Grêmio justificou a crise sem fim com apenas um ponto de seis disputados na Arena em menos de uma semana. Primeiro, perdeu para o Sport no domingo. Na noite de quarta-feira, penou para buscar o empate com o Cuiabá em 2 a 2. O clima, que já era tenso, aumentou.

A noite fria e pouco aconchegante em Porto Alegre levou somente 4.931 pessoas ao estádio gremista – ainda que haja liberação para cerca de 17 mil torcedores. O pequeno público viveu poucos momentos de alegria, o que já era esperado.

Entretanto, antes do apito inicial a expectativa dos tricolores que percorriam os corredores da Arena era de uma vitória. Afinal, Felipão tentou uma escalação diferente, com cinco mudanças: Brenno, Kannemann, Lucas Silva, Campaz e Diego Souza.

Só que bastaram 22 minutos para os desejos positivos da torcida evaporarem. Ruan caçou a marcação de maneira avançada, deixou espaço às costas e deu liberdade para o Cuiabá construir a jogada do gol de Max.

As novidades de Felipão no time titular até deram outra dinâmica, em tentativas de articulação de jogadas rasteiras com Campaz. Mas eram muitos insucessos e erros de organização ofensiva. Em lampejo de Alisson aos 37 minutos, a bola passou por cima do gol.

Bastou o apito soar no fim do primeiro tempo para que a torcida entoasse vaias e xingamentos ao presidente Romildo Bolzan Jr. e ao vice de futebol Marcos Herrmann.

Alisson resolve e desabafa

A resposta de Felipão após a conversa com o grupo no intervalo veio em dose dupla. O técnico desfez a mudança de Campaz e colocou Ferreira. Além disso, desarquivou Churín na vaga de Diego Souza – o argentino não atuava há quatro meses.

A mexida surtiu efeito imediato, pois com três minutos o Grêmio já havia finalizado duas vezes em cima de Walter. A terceira, aos seis, parou dentro do gol. Ferreira deu lindo passe para Rafinha, que fez a assistência para o gol de Alisson.

O atacante vibrou tanto que transpareceu um desabafo com a torcida. O jogador é bastante criticado nas redes sociais. Chegou a ser contido por Diego Souza e Felipão.

Alisson vibra com gol do Grêmio contra o Cuiabá e é contido por Diego Souza — Foto: Lucas Bubols/ge

Alisson vibra com gol do Grêmio contra o Cuiabá e é contido por Diego Souza — Foto: Lucas Bubols/ge

A partir daí o Grêmio tentou sufocar o Cuiabá. Felipão apostou alto aos 25 minutos, quando desarquivou Jean Pyerre na vaga do amarelado Thiago Santos. O meia não atuava desde 18 de agosto, justamente na vitória por 1 a 0 em cima do Cuiabá, no primeiro turno.

Aos 28, Douglas Costa – que fez boa partida – arrancou pela direita e colocou a bola na cabeça de Churín, que conseguiu perder uma grande oportunidade no segundo poste. Lances depois, Marllon colocou o Cuiabá na frente ao se antecipar a Ruan em cobrança de escanteio.

O balde de água fria fez Felipão esbravejar sozinho no banco de reservas. Alguns jogadores em campo colocavam as mãos no rosto com semblantes incrédulos. A torcida aumentava o tom da vaia.

Eis que no ataque seguinte o Grêmio empatou. Rafinha cruzou bonito da esquerda para a direita, e Alisson emendou chute forte para balançar as redes. Era o respiro de quem evitou uma noite trágica para a equipe.

O Grêmio terminou o jogo extenuado, com Alisson e Douglas Costa sentindo cãibras. O camisa 23 chegou a ser substituído por Jhonata Robert, enquanto Douglas pediu para ficar até o fim.

Quando soou o apito final, os quase 5 mil gremistas presentes se dividiram entre vaias e aplausos após assistir ao empate diante do Cuiabá. Na saída de campo, tanto no primeiro quanto no segundo tempo, nenhuma manifestação dos jogadores.

Foi assim também com a direção, que não concedeu entrevista coletiva. Geralmente é o vice de futebol Marcos Herrmann quem vai aos microfones falar ao torcedor. Coube somente ao técnico Felipão responder aos jornalistas.

Em um clima tenso, o Grêmio torce por um tropeço do Santos contra o São Paulo nesta quinta-feira. Se isso ocorrer, poderá ter a sua quinta tentativa de sair do Z-4 na próxima rodada, quando enfrenta o Peixe na Vila Belmiro. No momento, é o 17º colocado da Série A com 23 pontos.



Veja também