Rotina de treinos: André completa 80 dias sem jogar e vive ostracismo no Grêmio

Tricolor tenta encontrar oportunidade para negociar o centroavante, mas encontra dificuldades

6 de fevereiro de 2020 - Às 07:24

A virada para 2020 deflagrou a mudança definitiva de status para André no Grêmio. Com contrato até o fim de 2021, o centroavante está fora dos planos e vive ostracismo em Porto Alegre enquanto aguarda oferta de outro clube. São 80 dias sem entrar em campo desde a última chance recebida.

André ficou no banco de reservas apenas na derrota para o Caxias, na estreia do Gauchão deste ano. Depois, sequer foi relacionado para as outras três partidas do Grêmio. Atuou pela última vez no dia 17 de novembro, na derrota para o Flamengo, na Arena, pelo Brasileirão.

Uma rescisão de contrato, como ocorreu com Diego Tardelli, não está nos planos do jogador. André rejeita deixar o clube por esta porta.

— Sei que o representante (do André) trabalha muitos assuntos em alguns clubes. Mas para nós não chegou nada — disse o presidente Romildo Bolzan há menos de uma semana

André em jogo-treino contra o Cruzeiro-RS, na última terça — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

André em jogo-treino contra o Cruzeiro-RS, na última terça — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

André no Grêmio

  • 74 jogos
  • 4.475 minutos em campo
  • 11 gols
  • Média de 0,14 gols por jogo
  • 7 assistências

A saída para o Tricolor é emprestar André ou negociar os direitos econômicos de forma definitiva. Mas, até o momento, as conversas são escassas.

A principal via de saída foi ainda no ano passado, quando o Changchun Yatai, da China, fez proposta pelo centroavante. O Grêmio não aceitou os valores envolvidos. Coritiba e Botafogo também iniciaram tratativas, ambas sem evolução.

Em 2019, André entrou em campo 45 vezes, anotou sete gols e deu outras sete assistências. Recebeu confiança e oportunidades de Renato. No entanto, não conseguiu se estabelecer como titular nem quebrar o clima ruim com a torcida.

“Em uma hora dessas, falar o quê?”

No fim da temporada passada, o presidente Romildo Bolzan já tratava abertamente da “falta de ambiente” para o atleta seguir no clube. O próprio treinador, em sua primeira entrevista de 2020, admitiu a necessidade de André mudar de ares.

– Fui até criticado, merecidamente, por ter insistido com o André. Fiz de tudo para recuperar o futebol dele, mas não adianta dar soco em ponta de faca. Acho que vai entender. Muitas vezes é melhor trocar de ares – afirmou Renato.

No último dia 25, André atuou no jogo-treino do Grêmio com o Athletico, na Arena. Ao deixar o gramado, chamado pelo GloboEsporte.com para conceder entrevista, disse em tom de desabafo:

– Pô, pra quê!? Numa hora dessas, falar o quê?!

O centroavante foi contratado no início de 2018, do Sport, por cerca de R$ 10 milhões. Mas nunca confirmou a boa fase do Recife em Porto Alegre. Pelo Tricolor, acumula 74 jogos e 11 gols marcados.



Veja também