O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, pediu apoio da torcida antes da decisão contra o Palmeiras. Em entrevista aos canais oficiais do clube, na manhã desta sexta (19), o mandatário reconheceu o mau desempenho da equipe no Brasileirão, mas garantiu que a postura será diferente nas finais da Copa do Brasil.

— Não foi o Campeonato Brasileiro esperado, preciso fazer esse mea-culpa. Só que tem um fato extremamente importante. Embora o Grêmio não faça uma boa campanha no Brasileirão, o Grêmio tem uma situação muito importante e que as pessoas estão esquecendo. Estamos em uma final da Copa do Brasil e chegamos lá por méritos. Não será, podem ter certeza, o Grêmio que às vezes está vacilando no Campeonato Brasileiro. Será o Grêmio que efetivamente quer ganhar a Copa. Por isso, preço que a torcida esteja junto com o time. Precisamos de união — declarou Romildo à Grêmio TV.

Ao longo da entrevista, o presidente respondeu perguntas da torcida. Em certo momento, um torcedor questionou sobre o fato de o rival Inter, em uma situação financeira delicada, estar disputando o título, enquanto o Grêmio, com superávit nas contas, ainda não garantiu a vaga na Libertadores. O presidente reconheceu que o desempenho gremista deixou a desejar.

— Eu estou constrangido com a campanha (do Grêmio) no Brasileirão. O Grêmio continua sendo um clube cumpridor dos seus compromissos. Isso para mim é fundamental. O Grêmio vai disputar a final da Copa do Brasil e foi além do coirmão na Libertadores. Estamos em uma situação não tão agradável no Brasileirão, mas são circunstâncias, pois há elencos que se fecham e se encaixam. O Grêmio tem altos e baixos, mas isso não é questão de preço, é uma questão técnica. Lamentavelmente o Grêmio não teve uma resposta técnica adequada — completou.

Em outro momento, um torcedor perguntou sobre a preparação física da equipe. Segundo Romildo, o problema é técnico e não físico.

— Quando o time está desarrumado, não está encaixado, corre errado e perde um pouco a confiança, as vezes passa essa impressão. Eu também tenho essa impressão de que o time não tem o desempenho físico adequado. Mas quero dizer que dentro deste contexto, de sair atras do placar, de não estar encaixado e de correr errado, o desgaste é maior. Mas também acho que, às vezes, o time precisa trabalhar um pouco mais esta questão. A falta de confiança às vezes também gera um desgaste maior que se reflete na preparação física do atleta em campo — analisou o presidente.

Por fim, Romildo foi perguntado sobre o fato de o Grêmio não priorizar o Brasileirão. Para o mandatário, o problema foi o desempenho técnico e não a falta de foco na competição.

— O Grêmio prioriza sim. Mas é que quando o Grêmio chega nas encruzilhadas de jogar um campeonato em que se perder está fora, se prioriza aquela partida. O Brasileirão dá a chance de recuperação. O que está acontecendo este ano não é questão de priorizar. É que tivemos um mau desempenho no Brasileirão — finalizou.

O presidente afirmou que o futuro de Renato Portaluppi será definido antes das finais da Copa do Brasil, nos dias 28 de fevereiro e 7 de março. Porém, a definição só deve ser tornada pública após os jogos contra o Palmeiras, justamente para não atrapalhar a equipe na decisão.



Veja também