O Grêmio vive um momento de instabilidade na temporada. No Brasileirão, são três jogos disputados e três derrotas, que deixam o Tricolor na lanterna do campeonato nacional. Em entrevista ao programa Show dos Esportes, da Rádio Gaúcha, na noite desta sexta-feira (18), o presidente do clube, Romildo Bolzan, admitiu a situação desconfortável.

— (O momento) Não é o ideal. Não é algo que foi planejado. Estamos em uma situação desconfortável. Imaginávamos, eu particularmente, que estaríamos neste momento com cinco pontos. Este é um cálculo que foi feito levando em conta uma vitória em casa e dois empates fora. Isso era o esperado. No entanto, estamos com zero pontos, o que significa que teremos de fazer uma campanha de recuperação — pontuou.

O dirigente lamentou o desempenho da equipe nas últimas partidas, especialmente nos primeiros tempos das derrotas para Athletico-PR e Sport.

— Achei o desempenho muito ruim no primeiro tempo contra o Sport. Diante do Athletico-PR também. No caso do Ceará, foi uma fatalidade. Tomamos um gol aos 48 minutos (da etapa final). O empate fora de casa diante do Ceará não é uma situação fora de contexto. Os primeiros tempos contra Athletico-PR e Sport foram lamentáveis, bastante diferente do que estamos acostumados a ver. Os jogadores ficaram chateados. Uma derrota deste nível bate forte — comentou.

O Grêmio voltaria a campo no domingo (20), mas o duelo com o Cuiabá, pela quinta rodada do Brasileirão, foi adiado por conta das más condições do gramado do Estádio Presidente Dutra, onde o confronto seria realizado. Com um tempo maior de preparação até o próximo compromisso, Romildo mostrou confiança na retomada dos bons resultados.

— Temos de evoluir. Temos de retomar o desempenho. Todos nós estamos preocupados. Alguém vai pagar esse pato, mas o Grêmio irá buscar os resultados que deixou para trás — afirmou.



Veja também