Foto: Lucas Uebel

A derrota de 2 a 1 para o São Paulo sofrida com um gol nos acréscimos no Morumbi, na noite deste sábado (15), foi um balde de água fria para uma aparente reação do Grêmio no Brasileirão. Após o jogo, o presidente Romildo Bolzan Jr. tratou em seu discurso de reforçar que o caminho para sair da crise é a união de todos dentro do clube. O dirigente até mostrou irritação ao ser questionado sobre uma garantia de que o Tricolor não cairá para a Série B.

— O Grêmio tem um elenco muito bom e que passa por um problema de confiança. Tem tempo para recuperar e acredito que irá acontecer. O Grêmio perdeu uma partida que não merecia perder, perdeu por falhas, mas tenho confiança de que iremos reagir. Não pensem que vou vir com bravatas de dizer “não vamos cair”. Eu tenho confiança no elenco, de que vamos dar a volta por cima. Temos um processo a ser resolvido e vamos resolver, mas não esperem bravatas — declarou o presidente.

Romildo destacou o esforço feito pela direção na busca de reforços, mas afirmou que o maior desafio no momento é recuperar a parte anímica dos jogadores que já fazem parte do elenco.

— Esse grupo tem que dar resposta pela capacidade que tem. Nós (direção) estamos próximos, estamos todos juntos para que isso aconteça. Muitas vezes se tem dificuldade e se acha que vai afundar em um momento ruim? Não vamos. Temos de ser cada vez mais unidos para sair dessa situação. Estamos em uma dificuldade e vamos puxar para cima. É isso que estamos fazendo. Não tem receita de salvação, mas sim de união e superação — comentou, e completou:

— Não sou jogador, não sou treinador, mas sou a liderança que expressa tudo que acontece neste momento. Estamos aqui para dizer que a dificuldade existe e vamos superá-la. Esse não é o momento que se dá o pontapé na porta, aquela coisa de coice que resolve tudo. Estamos reconstruindo um ambiente para uma retomada.

Sobre reforços, Romildo afirmou que faltam apenas detalhes sobre o pagamento ao Tolima para o anúncio do meia-atacante Campaz. O dirigente ainda ressaltou que as contrações visam jogadores que possam acrescentar para o futuro do clube e não apenas para este momento.

— O quanto vai ser de acréscimo, o tempo vai dizer. São contratações que não buscam apenas a questão do momento, mas também de futuro. Buscamos jogadores de 21 a 24 anos pensando no agora e em temporadas futuras— projetou.

Com a derrota para o São Paulo, o Grêmio não tem chance sequer de sair da penúltima colocação da classificação do Campeonato Brasileiro no confronto atrasado da quinta rodada com o Cuiabá, 18º colocado, na próxima quarta-feira (18). A distância para o time do Mato Grosso no momento é de quatro pontos. O Cuiabá ainda joga neste domingo (15) contra o Athletico-PR, na Arena Pantanal.



Veja também