Félix Zucco / Agencia RBS

Romildo Bolzan Júnior participou nesta terça-feira do segundo episódio da Grêmio TV do programa Papo com o Presidente. Nele, o mandatário gremista falou sobre diversos assuntos, entre eles, a renovação com o técnico Renato Portaluppi. Apesar do costume de aguardarem o término da temporada para tratar do tema, Bolzan abriu a possibilidade de antecipar o acerto devido ao calendário da temporada 2021, que começará poucos dias depois das competições deste ano.

“Por praxe e costume, a gente resolve as questões rapidamente com o Renato. Nunca tratamos com grande antecedência, inclusive, a pedido dele. Talvez, este ano, a gente tenha uma excepcionalidade. Vamos ver. Se sentarmos, rapidamente resolvemos isso”, revelou.

Porém, com as muitas decisões em que o clube está envolvido, Bolzan prefere aguardar para tratar do tema no final do mês ou a partir de janeiro. “Não é agora que se trata disto para não tumultuar ou atrapalhar. Se uma situação negocial não avança, isso gera uma situação… então, para não dar problema para ninguém. Na hora oportuna, vamos conversar. Tenho certeza que a preferência do Grêmio é o Renato e do Renato é o Grêmio”, disse.

Bolzan ainda revelou que deseja contar com o treinador até o final da sua gestão, mas deixou subentendido que a permanência do profissional e ídolo da torcida será fundamental. “Claro que podem aparecer outras situações, mas já aconteceu e a opção dele foi pelo Grêmio, pois sabe que aqui tem o melhor ambiente para trabalhar. As melhores condições. Trabalha com o respeito de todos e tem um ambiente que ele conduz de uma maneira muito eficaz. É respeitado por todos. Principalmente, que aqui ele tem um ambiente, o respeito e o reconhecimento que ele jamais terá em outro clube. É uma questão de tempo e faremos isso no tempo oportuno”, revelou.

Outro tema tratado no programa foi a crise que o clube enfrentou e que foi superada a partir de uma coletiva que o presidente e o técnico deram para pedir um “voto de confiança” dos torcedores. “Aquele gesto foi para mostrar coisas que tumultuavam o nosso ambiente. Pedimos para dar um tempo para isso, que o ambiente ia voltar a acontecer, como sempre aconteceu. Aquela coletiva foi muito mais para dizer que sempre estivemos juntos mesmo nas dificuldades”, disse. “As redes sociais foram incontroláveis. Gente escrevendo “fora Renato! Fora Romildo!”. “Que os ciclos estavam encerrados”, pois, depois, abriu as nuvens e retornou o sol”, concluiu.



Veja também