O nome de Everton voltou a aparecer no radar do Napoli visando à próxima temporada europeia. Dono de 50% dos direitos econômicos do atacante, o Grêmio sinaliza com a possibilidade de receber um valor maior do que o da metade de uma transferência. Em entrevista ao programa Show dos Esportes, da Rádio Gaúcha, na noite desta terça-feira (26), o presidente Romildo Bolzan Jr. ressaltou que a estratégia foi adotada anteriormente e poderá voltar à pauta.

— Geralmente, o clube europeu compra 100%. Nós temos de tratar o negócio levando em conta 100% e depois negociar cada parte. Isso não quer dizer que o Grêmio ficará com 50%, pode ficar com mais. Existem outras possibilidades de negócios com os parceiros. Geralmente tem acontecido assim. São valores que são direitos, mas que podem ser negociados. Fizemos antes uma conversa nesse sentido, mas, se houver negócio, podemos manter a situação falada anteriormente — afirmou o presidente.

O Grêmio tem 50% dos direitos de Everton. A outra metade é dividida da seguinte forma: 30% pertence ao empresário Gilmar Velez, 10% ao investidor e parceiro gremista Celso Rigo e 10% ao Fortaleza. A ideia da direção do Grêmio é o que total da transferência de Everton seja no valor de 30 milhões de euros.

— Essa é uma proposta que podemos examinar. É um valor próximo da expectativa que tínhamos em outras janelas. Nós levamos em conta o valor em real.  Chega um momento em que é bom para todo mundo. Quem não quer ficar com o Everton aqui? Mas nesse momento o cenário mudou para todo mundo. O Grêmio talvez tenha a necessidade de realizar uma situação (de venda) — completou o dirigente.

Apesar de falar abertamente sobre a possibilidade de saída de Everton, Romildo garante que o Grêmio ainda não recebeu uma proposta oficial do Napoli pelo atacante.

— Nós não temos nenhuma proposta. Houve há mais de um mês essa conversa dos representantes do jogador com o Napoli. Isso não avançou. Não temos proposta — finalizou.



Veja também