Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

A classificação do Grêmio à final do Gauchão dará ao técnico Roger Machado a primeira oportunidade de disputar um título como treinador do clube. Entre 2015 e 2016, quando também esteve à frente da equipe, não alcançou nenhuma decisão. Agora, tem a chance de entrar na lista de campeões como jogador e técnico no Tricolor.

Nos próximos dois finais de semana, Roger terá a oportunidade de ser o oitavo gremista a erguer a taça do Campeonato Gaúcho como jogador e treinador. Se superar o Ypiranga, igualará o feito de nomes como Renato Portaluppi, Oswaldo Rolla, o Foguinho, e Valdir Espinosa

– O Telêmaco Frazão de Lima também foi presidente do Grêmio em 1940. Inclusive, é considerado o primeiro técnico de fato pós-era amadora. Ênio Rodrigues foi zagueiro do time do Foguinho. Todos esses técnicos coincidentemente são campeões gaúchos como jogadores. Outros campeões de títulos grandes, como Ênio Andrade, Evaristo de Macedo, Felipão e Tite nunca jogaram no Grêmio – acrescenta o coordenador do Museu do Grêmio, Carlos Eduardo Santos.

CAMPEÕES GAÚCHOS EM DUAS VERSÕES

TÉCNICO/JOGADORCAMPEÃO COMO JOGADORCAMPEÃO COMO TREINADOR
Telêmaco Frazão de Lima19261931 e 1932
Oswaldo Rolla1931 e 19321956, 1957, 1958, 1959 e 1960
Sérgio Moacir1949 e 19561962, 1963 e 1968
Ênio Rodrigues*19591959
Valdir Espinosa19681986
Cassiá1977 e 19791993
Renato Portaluppi1980, 1985 e 19862018, 2019 e 2020

Fonte: Museu do Grêmio

* Em 1959, Ênio Rodrigues parou de jogar e já assumiu como técnico no lugar de Oswaldo Rolla

Lateral-esquerdo formado nas categorias de base do Grêmio, o hoje treinador foi multicampeão em Porto Alegre. A nível estadual, ganhou os títulos de 1995, 1996, 1999 e 2001. Também ergueu três Copas do Brasil (1994, 1997 e 2001), uma Libertadores (1995), um Brasileirão (1996), uma Recopa Sul-Americana (1996) e uma Copa Sul (1999).

Após o Gre-Nal que classificou o Grêmio para disputar o pentacampeonato estadual, o comandante falou sobre a importância do título para sua ainda curta carreira na função.

– É minha primeira final como treinador do clube. Já fui campeão como jogador e desejo ser campeão como treinador, para marcar mais uma vez na história do clube. O torcedor sem dúvida vai comemorar essa conquista, a oportunidade de título, manter a hegemonia da casa. É muito importante para mim e, tenho certeza, para os atletas – disse Roger.

Roger Machado comemora classificação à final ao lado do preparador físico Reverson Pimentel — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Roger Machado comemora classificação à final ao lado do preparador físico Reverson Pimentel — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

As finais de Roger

Depois de sair da Arena em 2016, Roger acertou com o Atlético-MG para o ano seguinte. Na primeira competição disputada, chegou à final do Campeonato Mineiro e bateu o rival Cruzeiro. Após empate sem gols no Mineirão, o Galo venceu no Independência por 2 a 1 e levantou a taça.

Em 2018, o treinador iniciou a temporada no Palmeiras, onde também foi finalista estadual com um dérbi pela frente. Desta vez, no entanto, foi derrotado pelo Corinthians. Depois de vencer o rival em Itaquera por 1 a 0, o Verdão perdeu no Allianz Parque pelo mesmo placar e foi superado nos pênaltis por 4 a 3.

Nas duas temporadas seguintes, no comando do Bahia, Roger Machado viveu três finais. Primeiro, logo em sua chegada ao clube, em 2019, superou o Bahia de Feira no Campeonato Baiano. Após empate em 1 a 1 em Feira de Santana, o Tricolor de Aço venceu por 1 a 0 na Fonte Nova e ficou com o título.

Roger Machado foi campeão mineiro com o Atlético em 2017 — Foto: Bruno Cantini / Flickr do Atlético-MG

Roger Machado foi campeão mineiro com o Atlético em 2017 — Foto: Bruno Cantini / Flickr do Atlético-MG

Já em 2020, no retorno do futebol em meio à pandemia, o Bahia teve duas decisões em sequência. Na Copa do Nordeste, a equipe ficou com o vice após duas derrotas para o Ceará, por 3 a 1 e 1 a 0.

Nos quatro dias posteriores à perda do título regional, o time entrou em campo para decidir o estadual contra o Atlético-BA. Após igualdade nos dois jogos (0 a 0 e 1 a 1), o Bahia foi campeão nos pênaltis, por 7 a 6.

A final mais recente de Roger foi em 2021, pelo Fluminense. Em dois confrontos no Maracanã, acabou superado pelo Flamengo. Na ida, empate em 1 a 1. Na volta, derrota por 3 a 1.

Agora, Roger terá o Ypiranga como adversário na final do Gauchão pelo Grêmio. O jogo de ida acontece neste sábado, no Colosso da Lagoa, em Erechim, a partir das 16h30. A volta será no dia 2 de abril, na Arena.

Roger em finais como técnico

  • 2017 (Atlético-MG) – Campeão mineiro contra o Cruzeiro
  • 2018 (Palmeiras) – Vice paulista contra o Corinthians
  • 2019 (Bahia) – Campeão baiano contra o Bahia de Feira
  • 2020 (Bahia) – Vice da Copa do Nordeste contra o Ceará
  • 2020 (Bahia) – Campeão baiano contra o Atlético-BA
  • 2021 (Fluminense) – Vice carioca contra o Flamengo


Veja também