Roger aprova atuação em vitória sobre o Santos: “nos motiva muito”

Tricolor se prepara para o clássico Gre-Nal no próximo domingo, às 11h no Beira-Rio

29 de junho de 2016 - Às 22:28
Foto: Lucas Uebel
Foto: Lucas Uebel

O técnico Roger aprovou o resultado conquistado pelo Grêmio nesta quarta diante do Santos. O resultado positivo após duas derrotas traz mais confiança a equipe para o clássico do final de semana.

Avaliação da partida
“Um jogo com propostas distintas. Provamos um pouco do que proporcionamos aos nossos adversários com posse de bola e envolvimento. O gol no inicio nos deu a chance de jogarmos no contra-ataque. Ganhamos de um time muito bem treinando e com grandes individualidades. Nas circunstâncias, com um gol no final do jogo, de uma forma bastante especial, nos motiva muito. E isso vai para o jogo do final de semana. Não só por passar nosso tradicional adversário, mas por termos vindo de duas derrotas”.

Demora por mexidas
“Tenho um banco com muitos meninos, não por inexperiência, mas por minutos jogados. Hoje eu coloquei o Guilherme, que foi quem jogou um regional e se destacou. No jogo passado foi o Tilica. O ideal era esses meninos terem experiências gradativas. Mas as lesões nos obrigam a queimar algumas etapas. Mas também entra no jogo essa questão”.

Tempo maior de treino
“Um dia é um abismo de tempo no futebol. Talvez não consiga treinar novamente, tenho que ter os jogador recuperados. O fato das lesões é o calendário. Enquanto não ajustar o calendário, nosso futebol não será protagonista. Se me vendem um produto, uso como bem entender para ter o retorno. Vamos contar com a boa vontade da televisão para ajustar nosso calendário. Sempre vamos ter lesões e desequilíbrio”.

Maicon e Bolaños
“O Miller já fez alguns trabalhos, o Maicon também, ainda tenho três dias e vamos ver como eles vão reagir. Ainda mais como o Luan saiu com algum problema”

Everton
“Falta maturidade, errar e acertar. depende do peso do jogo, do dia e se está recuperado de um jogo para outro. Tenho trabalhado muito os mais jovens, para que eles se sintam legitimados. O momento do clube, de muitos anos sem títulos, acaba atrapalhando. O jogador tem que ser forte para tentar, errar e tentar novamente. Hoje, construiu dois lances que resultaram em gols. O Thyere fez um grande jogo. O Hermes entrou e fez gol”.

Jaílson
“Acho que foi bem, né? Quando optamos por liberar o Edinho, fomos muito criticados. Quem está no dia a dia percebeu que tínhamos um volante se destacando. Hoje foi muito bem, com autoridade. Marcou forte e articulou. Teve jogadas em profundidade”.

Gols sofridos
“As ausências remetem, embora façamos diariamente o treino com todos, as peças que vem entrando e não tem o mesmo entrosamento. Algumas vezes já espaços para os adversários. Enquanto estivermos fazendo mais do que tomamos, está bem. O Thyere, na mesma linha do Jaílson, joga como treina. Por isso que atua em alto nível. Sempre muito concentrado. Gostariam que todos tivessem o mesmo nível nos treinos”.

Clássico Gre-Nal
“A gente projeta um clássico muito disputado, vale três pontos, mas três pontos muito importantes. Vinhamos de insucessos, projeto um jogo difícil. O time do Argel tem uma equipe leve e técnica, que marca muito forte, e busca os lados do campo. Isso gera dificuldades, mas vamos preparar a estratégia até domingo. Será importante descansar os caras, temos saído bem desgastados das partidas.

Sentimento com o empate
“Ali começa a pensar, olhei no relógio e vi que tinha mais 10 minutos. Jogando em casa, e se fosse fora tentaria segurar o ponto, tinha que tentar algo a mais. Por isso o Guilherme no lugar do Everton. Pela saída do Thyere, o Hermes deu folego pelo lado novamente. Temos que buscar até o último minuto. Se ganha no primeiro ou no último”.

Textos: ZeroHora



Veja também