Pela segunda vez no Brasileirão, o Grêmio usou reservas e perdeu. Depois da derrota para o Sport de virada por 4 a 3, os suplentes de Renato Gaúcho não conseguiram segurar o Palmeiras na tarde de sábado e levaram 1 a 0, com direito a gol contra do volante Machado. Assim, são seis pontos que deixaram de ser somados pelo Tricolor, que neste domingo pode ver o Corinthians ampliar sua distância na ponta da tabela e ainda começar a vislumbrar outros rivais pelo retrovisor. De qualquer forma, o clube mantém convicção no planejamento para seguir vivo nas três competições que disputa simultaneamente.

Após 11 jogos, o Grêmio tem três derrotas no Campeonato Brasileiro. Somente no revés por 1 a 0 para o Timão foram usados titulares. Na estratégia adotada para a Série A, Copa do Brasil e Libertadores, o fim de semana foi de descanso para o time principal devido ao compromisso já na terça-feira contra o Godoy Cruz, na Argentina, em busca do tri da América.

O discurso é de que o elenco pode sustentar a sequência de partidas. Mas quando os reservas foram chamados para o dever, não corresponderam. Na terceira rodada do nacional, o time alternativo foi a Recife e abriu 2 a 0 sobre o Sport. Terminou derrotado por 4 a 3. O mesmo aconteceu no sábado, quando o Palmeiras não teve muitas forças. Porém, um gol contra decretou o revés.

“Nós estamos olhando sempre os próximos dois jogos. Temos o Godoy Cruz e depois (jogo) pelo Campeonato Brasileiro. Temos que ter um time competitivo para o mata-mata e para o Brasileiro. O Corinthians disparou. Fazer o quê? Não adianta sair em uma corrida atrás do Corinthians e depois perder tudo logo ali na frente”. (Odorico Roman, vice de futebol)

Neste domingo, Flamengo, em quinto, e Corinthians jogam em casa. Se os dois vencerem, a situação complica para o Grêmio. Os cariocas podem chegar aos 20 pontos e diminuir a diferença para apenas dois dos gaúchos. Os paulistas têm chance de disparar na liderança. Já o Verdão chegou aos 19. Apesar disso, o Tricolor não perde a vice-liderança, com 22.

– (A derrota) Preocupa em termos de Campeonato Brasileiro, porque sete pontos fica muito distante. Mas têm muitas rodadas ainda. Um, dois vacilos do Corinthians e a gente busca de novo. É uma escolha que fizemos. Ganhar um campeonato é muito difícil. Se o Grêmio quiser ganhar todos, certamente não vai ganhar nenhum. No momento, priorizamos o mata-mata. Se o Corinthians não tivesse um desempenho tão acima nos números, nós estaríamos em uma situação melhor – explica o vice de futebol Odorico Roman.

Foto: Marcos Ribolii

Uma opção para Renato Gaúcho poderia ser a mescla entre titulares e reservas. Ou seja, poupar os jogadores mais desgastados e escalar aqueles em melhores condições. Depois de feito o balanço, se preenche o time com os suplentes em melhor momento. A teoria parece fácil, mas a prática está longe disso. Segundo o treinador, há risco de lesões e comprometimento do avanço no mata-mata, algo mais urgente que uma competição de pontos corridos.

– A moeda tem os dois lados. Coloco os titulares, um deles machuca e perco para a Libertadores. Lógico que se tivessem outros jogadores o time estaria mais forte. Mas no momento o mais importante é o jogo de terça-feira em relação ao de hoje (sábado). É mata-mata. Se descuidar, você sai da competição. Não é o Renato que decide sozinho as coisas no Grêmio. A gente procura sempre fazer o melhor para o clube. Não estamos deixando de lado o Campeonato Brasileiro. Deixamos uma ou outra partida para jogar Copa do Brasil e Libertadores – comentou Renato.



Veja também