O Grêmio planeja renegociar os contratos com maiores salários do elenco para a temporada de 2022. A ideia da direção é que haja acordo para postergar o pagamento dos valores de direitos de imagem e de luvas dos principais atletas. Normalmente, estes valores correspondem a 40% dos vencimentos de jogadores. Segundo a legislação trabalhista, não é possível reduzir os pagamentos dos salários acordados via CLT.

Segundo apurou GZH, a direção gremista terá uma reunião para definir o organograma das conversas com os atletas nesta terça-feira (11). A tendência é que o encontro sirva para definir quais jogadores serão procurados e as propostas de repactuação que serão apresentadas. Os dirigentes pretendem avançar com as negociações individuais com os atletas ainda esta semana. O presidente Romildo Bolzan Jr e o CEO do clube, Carlos Amodeo, devem liderar as conversas.

Até o momento, nenhum jogador foi procurado oficialmente para conversar sobre o contrato. Contudo, os dirigentes já tiveram uma conversa geral sobre o assunto. Ainda não há definição de quantos jogadores serão procurados, mas a medida visa renegociar os maiores salários do elenco. Alguns atletas desta faixa são Douglas Costa, Geromel e Kannemann, por exemplo.

O planejamento financeiro do Grêmio prevê que as mudanças que forem acordadas com os jogadores reflitam a partir do mês de abril. Em 2021, a folha salarial do elenco girava em torno de R$ 15 milhões por mês. Para 2022, com a queda de receitas devido ao rebaixamento para a Série B, o clube estima trabalhar com uma folha de R$ 7 milhões a R$ 8 milhões mensais.



Veja também