Foto: Amanda Kestelman

Renato Gaúcho já renovou com o Grêmio para 2018. Mas futuramente, o treinador que foi campeão da Libertadores pelo clube gaúcho tem outros planos. Antes do Jogo das Estrelas, realizado por Zico no Maracanã nesta quarta-feira, ele contou que pensa em comandar o Flamengo e também a seleção brasileira.

Ele, inclusive, teve a chance de realizar um desses sonhos já em 2017 – revelou ter sido procurado pelo Rubro-Negro. Porém, teve que recusar, pois estava em importantes competições com o Grêmio na ocasião: Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil. Na época, o Fla acabou contratando o colombiano Reinaldo Rueda.

– Preciso realizar esses dois sonhos (técnico do Flamengo e da seleção). Fui procurado pelo Flamengo há uns quatro meses. Mas estava em três grandes competições com o Grêmio, não tinha mínima chance. O Flamengo é um grande clube, tem uma grande torcida. O primeiro que joguei no Rio de Janeiro e ao lado do meu grande ídolo Zico. Conquistamos naquele ano o Brasileiro. Apesar de pessoas falarem que não é, campeão é quem ganha nas quatro linhas – disse, relembrando também o título nacional conquistado em 1987.

Campeão pela Libertadores com o Grêmio como técnico e jogador, Renato falou sobre a temporada com o clube gaúcho:

– Fiquei muito feliz em ter o reconhecimento da imprensa de que o Grêmio jogou o melhor futebol do Brasil, ganhamos um título importante, fizemos a final do Mundial. Acredito que poderíamos ter brigado melhor pelos títulos da Copa do Brasil e do Brasileiro, se não tivéssemos envolvidos em tantas competições.

E sobre a estátua que a diretoria gremista prometeu fazer dele, Renato completou:

– Já dei uma ideia para o pessoal do Grêmio, os conselheiros, que gostaria da estátua com a comemoração do gol de Tóquio. É uma foto bonita, é o gol mais importante da minha carreira. Acredito que será essa foto.



Veja também