Como ocorre temporada após temporada nos últimos quatro anos, Renato Portaluppi decidirá seu futuro no Grêmio em uma conversa de “cinco minutos” com o presidente Romildo Bolzan apenas após a final da Copa do Brasil. E com prioridade e preferência por renovar pela quinta vez o seu contrato com o clube.

Trata-se da postura que o treinador sempre adotou nas negociações anteriores. E que se repete agora, mesmo depois de o Atlético-MG elencar Renato como principal alvo para substituir Jorge Samapoli, diante da saída iminente do argentino para assumir o Olympique de Marseille.

O Galo ainda não fez movimento algum para tentar tirar Renato do Grêmio. Não há conversas em andamento com o próprio treinador, nem com seu estafe ou com o Tricolor.

Antes de ouvir qualquer outra proposta que possa surgir, o técnico se reunirá com o presidente Romildo Bolzan Júnior para discutir 2021. O desejo de permanência para a próxima temporada é mútuo. Mas isso não quer dizer que exigências não sejam postas à mesa.

Renato Portaluppi em vitória do Grêmio no Rio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Renato Portaluppi em vitória do Grêmio no Rio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Conforme apurado pelo ge, Renato espera que a diretoria faça mais investimentos na montagem do elenco para 2021. As conversas entre o treinador e o mandatário sempre giram em torno das prioridades e capacidade financeira do clube a cada temporada.

A temporada atual, aliás, é um exemplo do salto pretendido pelo treinador em termos de investimento. Renato elencou Pedro (do Flamengo) e Keno (hoje no Atlético-MG) como alvos prioritários, ainda no início de 2020. O Tricolor fez investidas, mas recuou diante das cifras que envolviam os negócios.

O prazo do atual contrato de Renato com o Grêmio obriga uma negociação inicial mais curta, apenas de um aditivo para terminar a temporada 2020. O treinador tem vínculo até o próximo dia 28, mesma data do primeiro jogo com o Palmeiras na final da Copa do Brasil. A segunda partida será no dia 7 de março.Não gosto de falar sobre o meu futuro. Eu tenho uma amizade muito grande com o presidente Romildo. E na hora certa vou sentar e conversar e podemos resolver em três minutos, cinco minutos. Para ficar e ou para sair”— Renato Portaluppi

Avaliações e desejo de permanência

Depois disso, as conversas serão mais definitivas, com avaliações de parte a parte. De relação estreita com Renato, Romildo Bolzan já manifestou a intenção de renovar o contrato com o treinador. E isso se mantém.

Mas hoje, as principais decisões do Grêmio são tomadas pelo Conselho de Administração, presidido pelo mandatário e que conta com seis vices. Internamente na alta cúpula gremista já há mais dissidentes que entendem que há uma “fadiga” no clube e que o trabalho de Renato caiu de produção.

Romildo Bolzan e Renato Portaluppi, do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Romildo Bolzan e Renato Portaluppi, do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A análise será feita com base nos próximos três jogos no Brasileirão e, claro, dependerá também da final da Copa do Brasil. Por conta da falta de torcida nos estádios, o termômetro das redes sociais aponta para questionamentos ao ídolo. Ao mesmo tempo em que há críticas, ainda não há discussão de nomes como alternativas para a função.

Contratado em setembro de 2016, Renato está há mais de quatro anos no Grêmio e soma 402 jogos no comando da equipe. É o técnico com mais partidas pelo clube e conquistou Copa do Brasil, Libertadores, Recopas Sul-Americana e Gaúcha e o tricampeonato estadual no período.



Veja também