Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Se o Grêmio espera superar o Barcelona-EQU nas semifinais da Libertadores, precisa reencontrar o foco. E tem que trabalhar a cabeça. Para remobilizar o grupo, em “momento de alerta” na temporada, Renato Gaúcho já agendou uma conversa com os jogadores no CT Luiz Carvalho até sexta-feira. E a cobrança será ainda maior da que ocorreu no vestiário da Arena, após a derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro na noite desta quarta.

O mau desempenho em casa acabou com a paciência do treinador. Depois do apito final, Renato entrou no vestiário aos gritos. Irritado com o baixo rendimento e a queda de performance, vociferou palavrões aos comandados. Marcelo Grohe confirmou a bronca. O goleiro viu a postura do chefe como positiva, em busca de encontrar o futebol que o time já apresentado meses atrás.

– É uma cobrança natural, estamos acostumados. Temos que ser cobrados. Renato tem o feeling e sabe a hora de apertar um pouco mais. Entendeu que precisava. É do futebol. Cabe a nós com a comissão procurar melhorar. Acredito muito no nosso time. Já mostramos que temos condições. Não digo dar a volta por cima, mas reencontrarmos o caminho – disse Grohe.

Já mais comedido, mas ainda visivelmente incomodado, o técnico comentou sobre a situação do time na entrevista coletiva. Revelou que até sexta-feira terá uma conversa com os atletas. O assunto? Fazer o grupo esquecer o confronto com os equatorianos e lutar para buscar a recuperação diante do Coritiba, no domingo, pelo Brasileirão. A ideia é conscientizar os jogadores que, se apenas pensarem na Libertadores, a dispersão acarretará na perda das duas competições.

– Vou conversar com o grupo. Quem jogar (contra o Coritiba), pode ter certeza que vai estar com outra cabeça no dia 25. Mas esta cabeça tem que estar também no domingo. Não adianta entrar em campo e não se expor com medo de ficar fora do dia 25. Ou então é melhor nem entrar. Até lá, será assim. Todo mundo quer estar lá (na Libertadores), ajudar, mas temos jogos pelo Brasileirão – lembrou.

A preocupação é maior principalmente pela baixa produção no returno do Brasileirão. Após oito rodadas, o time somou apenas sete pontos, o que dá um aproveitamento de 29%, com só duas vitórias. A campanha é de 17º colocado.

– Temos que pensar em nós. Nos cobramos e estamos cientes que caímos de produção. Retomaremos. É um momento de alerta. Precisamos melhorar. O Renato cobra que todos deem um pouco a mais – acrescentou Grohe.

O pensamento que vem da direção é semelhante. Segundo o vice de futebol Odorico Roman, a diminuição do número de competições a disputar facilitou a vida do Grêmio. E a sequência de mais três partidas pelo campeonato nacional será suficiente para deixar o time estimulado até o primeiro duelo da semifinal da Libertadores.

– Tivemos momentos neste ano que disputamos quatro competições. Agora são duas. É mais fácil ter o foco. Os jogadores receberão os estímulos necessários. O Renato trabalha muito bem isso. Podemos mobilizar para Coritiba, Corinthians, Palmeiras e aí pegamos o Barcelona. Podemos buscar o conjunto para chegar com força em Guayaquil. Para isso, precisamos fazer jogos bons no Brasileiro. São complementares, não concorrentes – destacou Roman.

Pela retomada, o Grêmio volta aos trabalhos nesta quinta. A reapresentação ocorrerá pela parte da tarde. Com o resultado, o Tricolor se manteve com 46 pontos e agora ocupa o quarto lugar na tabela. Na próxima rodada, enfrenta o Coritiba. A partida será disputada neste domingo, às 19h, no Couto Pereira, em Curitiba.



Veja também