Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital

Não veio a vitória. Tampouco um gol foi marcado fora de casa. Porém, o empate em 0 a 0 com o Botafogo, pelas quartas de final da Libertadores, tem que ser celebrado. Principalmente pela postura apresentada na noite desta quarta-feira no Nilton Santos. Se tivesse um vencedor, este seria o Grêmio. Pelo menos é o que entende Renato Gaúcho.

Após a partida, o técnico manteve a confiança. Vibrou com o rendimento dos pupilos. Para Renato, Marcelo Grohe não foi importunado ao longo dos 90 minutos. E, embora não tenha sido um massacre, criou as melhores oportunidades.

– O resultado foi muito bom. Infelizmente, não fizemos gol, mas as duas ou três oportunidades claras foram do Grêmio. Marcelo (Grohe) praticamente não trabalhou. Gostei da minha equipe pelo desempenho, pegada. Não demos chances ao adversário. Criamos pouco, mas as chances foram do Grêmio – comentou em entrevista coletiva.

Nesta postura, o fundamental foi a mudança do desempenho após a derrota por 1 a 0 para o Vasco, no último final de semana, pelo Brasileirão. O treinador reiterou que o time esteve “mole” em São Januário. E, ciente da qualidade do Botafogo, viu a equipe diferente.

– Libertadores é outra competição. Sabíamos da força do Botafogo. Eles têm muitos méritos. Sabíamos que encontraríamos dificuldades. E, se entrássemos mole, seríamos derrotados e com um placar que não conseguiríamos reverter. Não podíamos jogar nem próximo do que fizemos contra o Vasco – afirmou.

Renato estava preocupado com a bola aérea do Botafogo. E, durante a partida, ganhou uma nova preocupação. Relatou que Edílson estava com dores. Após ter feito duas substituições, guardou a última caso o lateral-direito não conseguisse mais permanecer em campo.

– A bola aérea do Botafogo é muito forte. Conversei com o Edílson, que estava sentindo uma lesão. Se eu trocasse, ficaria com 10. Há coisas que converso com os jogadores, mas vocês não sabem. Fiquei com medo de perder o Edílson – finalizou.

Com o resultado, o Grêmio precisa vencer para garantir vaga às semifinais da Libertadores. Empate a partir de 1 a 1 classifica o Botafogo. Nova igualdade em 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. O jogo de volta está previsto para ocorrer na próxima quarta-feira, às 21h45, na Arena. Antes, no entanto, o Tricolor volta a concentrar forças no Brasileirão. No domingo, às 16h, a equipe recebe a Chapecoense.



Veja também