Foto: Fabiano do Amaral

O técnico Renato Portaluppi não escondeu sua insatisfação com a situação envolvendo a saída de Tetê do Grêmio após a vitória sobre o Veranópolis pelo Gauchão. O treinador deixou claro que o garoto e seu empresário tentaram “forçar” uma subida para o elenco profissional, o que não foi aceito. Nesta segunda-feira, o Tricolor confirmou a venda do atacante, de 19 anos, para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

“Isso não serve só para o Tetê, serve para qualquer jogador enquanto eu estiver no Grêmio. Jogador vai subir para o profissional do Grêmio quando eu achar que ele tem condições para isso. Não adianta empresário vir aqui pressionar, vir com amiguinho. Jogador da base vai ter oportunidade quando fizer por onde, quando eu observar e achar que tem condições”, afirmou Renato, que seguiu.

“Não adianta o jogador ir para a seleção. No grito, no papo, ninguém vai jogar. Pergunta para os garotos que estão aí, Everton, Luan, o Pedro Rocha, que já saiu. Pergunta se eles não sofreram para subir. Não adianta falar ‘eu só fico no Grêmio se ficar no profissional’. Boa viagem”, completou o treinador.

Durante coletiva sobre sua saída do Grêmio nesta segunda-feira, Tetê deixou claro que um dos motivos que o levou a aceitar a proposta do Shakhtar foi a falta de certeza de que seria utilizado no grupo principal gremista nesta temporada.

Tetê deixou o Grêmio em um negócio que rendeu 10 milhões de euros ao clube. O Tricolor ainda ficará com 15% de uma futura venda do jogador. O garoto nunca atuou profissionalmente pelo clube.



Veja também