A vitória do Grêmio por 2 a 0 sobre a Universidad Católica viveu momentos fundamentais sem que a bola estivesse rolando. No vestiário, durante o intervalo, o técnico Renato Portaluppi orientou uma mudança tática na equipe para agrupar mais o time e tirar os espaços dos chilenos. O resultado veio com o resultado e boa atuação no segundo tempo.

O comandante gremista disse que viu o time “um pouco perdido” na marcação ao adversário. A Católica não tinha dificuldades para chegar próximo da área gremista, embora não tenha criado chances claras além de um lance em cobrança de escanteio.

— Estávamos um pouco perdidos, até porque encontramos uma equipe muito bem entrosada. Estávamos dando bote errado e deixando espaços, pela falta de entrosamento, mas é algo normal. Trouxe a equipe para trás, mudamos a maneira de jogar, a estratégia deu certo e não demos mais espaço. Foi fundamental até porque eles estavam jogando muito tranquilos nos primeiros 45 minutos. Não que tivessem chance, mas trocavam muito a bola no nosso campo. Fizemos o gol logo no inicio do segundo tempo e deu tranquilidade maior — analisou Renato.

Renato Portaluppi em vitória do Grêmio na Libertadores — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Renato Portaluppi em vitória do Grêmio na Libertadores — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O Tricolor começou com Robinho, Darlan e Matheus Henrique como um trio no meio-campo. Alisson e Pepê mais próximos de Diego Souza, como atacantes. Renato pediu então para a equipe não tentar marcar no campo ofensivo e recuar para controlar os espaços dados.

— Mudei taticamente a equipe no segundo tempo, no 4-1-4-1, recuamos um pouquinho para não dar mais espaços. E sabíamos que teriam que nos agredir, arriscar, porque dependiam muito da vitória — completou o treinador.

O Grêmio chegou aos 10 pontos com a vitória e espera pelo resultado do Inter contra o América de Cali, na noite desta terça, para saber se estará ou não classificado — empate do rival já serve. No sábado, tem Gre-Nal pelo Brasileirão, na Arena, às 17h.



Veja também