Jefferson Botega / Agencia RBS

Após ser derrotado no último domingo (17), por 1 a 0, pelo Flamengo, em plena Arena, o Grêmio reclamou da arbitragem. Por conta do pênalti que gerou o gol do adversário, o capitão Geromel e o técnico Renato Portaluppi contestaram a decisão do árbitro Raphael Claus. Outro ponto de reclamação foi um toque não sinalizado, já no final do duelo, de Renê.

No entanto, as reclamações não se resumem apenas a este jogo nos últimos meses. No decorrer da competição, o clube reclama de outros momentos em que teria sido prejudicado por interpretações da arbitragem. Em outra frente, na Copa do Brasil, há uma reclamação pela não sinalização de uma penalidade a favor do Tricolor. Relembre alguns dos lances e as decisões apontadas pelos juízes.

Corinthians 0 x 0 Grêmio – 4ª rodada
Um lance que poderia ter dado mais uma vitória ao time de Renato na tabela de classificação. Em Itaquera, Everton tentava fazer a jogada na área do adversário quando a bola bateu no braço de Fagner. Num primeiro momento, o pênalti foi assinalado para o Tricolor. Após a revisão da jogada, o VAR sugeriu uma revisão ao árbitro Marcelo de Lima Henrique.

Com a observação no vídeo, a decisão foi revogada pela equipe de arbitragem. Segundo o analista da Rádio Gaúcha, Diori Vasconcelos, a desmarcação da infração foi correta.

Fluminense 2 x 1 Grêmio – 22ª rodada
São duas as reclamações do Grêmio referentes ao duelo que terminou em derrota no Maracanã. O primeiro, no lance em que André disputou a bola com Gilberto. O jogador do Fluminense tocou com o braço na bola. Na ocasião, o VAR sugeriu a revisão do lance, mas o próprio árbitro checou e não modificou a decisão do campo.

Em um segundo momento, também envolvendo o mesmo jogador do time do Rio de Janeiro, mas com o atacante Luciano a favor do Grêmio. Na visão da equipe de arbitragem, o contato foi acidental, e a revisão não foi acionada no vídeo.

No entendimento do ex-juiz de Copa do Mundo, Sandro Meira Ricci, hoje comentarista do Grupo Globo, apenas a infração envolvendo André deveria ter sido marcada.

— Coloca a mão para evitar que a bola continue — avaliou o especialista.

Há uma coincidência entre o duelo do último domingo e o embate da 22º rodada: o VAR. O responsável pelo equipamento foi José Claudio Rocha Filho, o mesmo da partida diante do Flamengo no último domingo. Na oportunidade, quem apitou o jogo foi Caio Max Augusto Vieira (RN).

Grêmio 0 x 0 Corinthians – 23ª rodada
Outra reclamação gremista se deu no empate sem gols diante do Corinthians, na Arena. No encontro dos clubes, válido pelo segundo turno, houve pedido de pênalti depois de a bola pegar no braço de Sornoza em jogada de Everton.

De acordo com o ex-árbitro da Fifa Paulo César de Oliviera, analista do Grupo Globo, o meia retirava o braço e, por isso, a não marcação foi correta.

Athletico-PR 2 x 0 Grêmio – Copa do Brasil
Possivelmente, este foi o lance mais reclamado. No começo da partida, o Tricolor buscava abrir o placar em Curitiba. Após uma tentativa de cabeçada de Geromel, Wellington Martins aparou com o braço. O VAR sugeriu a revisão para o comandante Wagner Nascimento Magalhães (RJ), que observou no vídeo e não modificou a não marcação. A direção gremista chegou a ir à CBF para ouvir o diálogo entre os apitadores.

Na avaliação do analista de GaúchaZH, Diori Vasconcelos, a penalidade deveria ter sido apontada.

— Wellington Martins ampliou o espaço corporal com o braço aberto e bloqueou o arremate — avaliou o jornalista.

Na mesma linha, Paulo César de Oliveira falou sobre o lance na transmissão da Globo.

— Ele está com o braço muito aberto, aumentando a área do seu corpo. É um lance interpretativo – afirmou o analista.



Veja também