Reforço do Grêmio, Lucas Leiva vem de segundo ano com mais jogos na Lazio; veja

Volante fez quase 200 jogos em cinco anos no clube italiano, mas perdeu titularidade em 2022 com o técnico Maurizio Sarri na última temporada. Jogador tinha boa imagem com a torcida

21 de junho de 2022 - Às 06:29
Foto: Riccardo Antimiani/EFE

O Lucas Leiva que chega ao Grêmio vem de temporada onde não foi titular absoluto da Lazio, mas sempre mostrou sua relevância na equipe. O jogador perdeu espaço durante a temporada, mas, mesmo assim, só esteve menos vezes em campo que em seu primeiro ano em Roma, em 2017/2018.

No último domingo, após idas e vindas na negociação, o Grêmio fechou acordo com o jogador de 35 anos. O anúncio oficial deve ocorrer na próxima semana.

O último ano do jogador na Itália foi de alternância entre titularidade e reserva. Ainda assim, foi a segunda temporada com mais partidas pela Lazio, com 45, 26 delas como titular.

— Na temporada 2021/2022 da Lazio, quinta colocada (do Campeonato Italiano), classificou-se para a Liga Europa, Lucas Leiva foi o terceiro jogador mais escalado, 35 jogos dos 38 da Série A. Verdade que esteve como titular em 19 vezes, mas jogando com bom desempenho, ou não jogaria esses 35 jogos — avalia Paulo Vinicius Coelho, comentarista do Grupo Globo.

Com a chegada do técnico Maurizio Sarri na Lazio, no meio de 2021, Lucas foi perdendo espaço na equipe. Na primeira função do meio-campo, assim como atuava com o comandante anterior, Simone Inzaghhi, Lucas teve o italiano Danilo Cataldi como concorrente direto na condição de titular.

— Sarri não enxergava nele uma peça ideal para o seu modelo de jogo: procurava alguém com mais qualidade de passe, principalmente no vertical, e de mais chegada no ataque. Não tinha a peça ideal para isso, mas preferiu Cataldi a Lucas — comenta Nelson Oliveira, do site Calciopédia, portal especializado em futebol italiano no Brasil.

Mesmo nos tempos em que Inzaghi jogava com três zagueiros, como o Grêmio de Roger Machado tem utilizado, Lucas era escalado como volante. Na Lazio, tinha a companhia de Luis Alberto e Milinković-Savić no meio-campo, inclusive nas vezes em que foi titular com Sarri, com linha de quatro na defesa.

Em cinco anos na Lazio, desde sua chegada com recepção calorosa por parte da torcida, Lucas criou identificação com o clube. Assim como em uma década de Liverpool, além do próprio Grêmio, sempre foi característico do jogador ser uma figura relevante por onde passa.

Nestes cinco anos a contribuição dele foi diminuindo com o tempo, mas o carinho sempre ficou. Quando ainda existia a incerteza sobre sua permanência, torcedores ainda defendiam uma renovação, ou pelo futebol apresentado, ou por acreditar que a influência dele sempre foi muito positiva no elenco – afirma Wesley Lourenço, do site Lazio Brasil.

Lucas volta ao Brasil após 15 anos na Europa, sendo os últimos cinco na Lazio. Em meados de 2017, o volante acertou com o clube italiano após 10 anos no Liverpool, onde estava desde a venda do próprio Grêmio, pouco depois do vice-campeonato da Libertadores de 2007.

Lucas Leiva pela Lazio

  • 198 jogos
  • 4 gols
  • 14 assistências

Na Itália, Lucas estreou com título com a camisa da Lazio. Titular na Supercopa, contra a Juventus, foi campeão com vitória por 3 a 2 no Estádio Olímpico, em Roma. A primeira temporada do volante foi a que mais esteve em campo e a melhor em números. Em 50 jogos, marcou quatro gols e deu sete assistências.

A conquista mais importante pelo time da capital, porém, foi na temporada seguinte, da Copa Itália. Nas quartas de final, a Lazio passou pela Inter de Milão, fora de casa, nos pênaltis, com Lucas convertendo a última cobrança. Na semi, a vítima foi a outra equipe de Milão, o Milan, também no San Siro.

Na decisão, diante da Atalanta, Lucas foi autor da assistência para o primeiro gol, de Milinković-Savić, aos 36 minutos do segundo tempo. A vitória por 2 a 0 sacramentou o tíitulo da Lazio, o segundo do volante no clube. Mais tarde, ainda em 2019, levantou novamente a taça da Supercopa, outra vez contra a Juventus.

Revelado pelo Grêmio em 2005 exatamente em um cenário de Série B, o volante retorna ao clube com a missão, mais uma vez, de recolocar o Tricolor na elite do futebol brasileiro.



Veja também