Foto: Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio

Na última semana, foi possível notar uma novidade na roda de “bobinho” dos jogadores antes de cada treino do Grêmio, no CT Luiz Carvalho. O volante Michel calçou as chuteiras e voltou a trabalhar com bola com o restante do elenco à espera de uma nova chance no elenco Tricolor. O aproveitamento do jogador por Roger Machado, porém, é considerado difícil por fontes ouvidas no clube.

Campeão da Libertadores em 2017, o volante de 32 anos retornou ao clube gaúcho depois de ser emprestado ao Vasco. Michel vinha se recuperando desde o início do ano de uma artroscopia no joelho esquerdo, realizada em dezembro do ano passado.

O jogador iniciou a temporada realizando trabalhos de fisioterapia e desde o último mês já era visto em algumas corridas no gramado, sob orientação da preparação física.

No último fim de semana, Michel evoluiu e pela primeira participou normalmente das atividades com bola, comandadas por Roger. Conforme apurou o ge, ele ainda está passando por uma espécie de pré-temporada e pode levar de duas a três semanas para estar em condição de jogo.

O volante tem expectativa de, após esse período de preparação, voltar a ter uma “vida de atleta”. Ou seja, além dos treinos com bola, que já começou a fazer, passar a ser relacionado para os jogos, concentrar com os colegas, ir para o banco de reservas e, quem sabe, ter chances em campo.

Esta temporada pode ser tratada como a última chance de Michel despertar as atenções e olhares não só da comissão, mas do departamento de futebol do Grêmio como um todo e da própria torcida. Isso porque o vínculo do jogador com o clube gaúcho vai até dezembro deste ano.

Por outro lado, a missão do volante não será fácil. O motivo é simples. Uma vez que o jogador integre o grupo no quinto mês da temporada, vai para o final da fila, visto que Roger já tem criado uma hierarquia dentro do elenco. Além disso, o treinador encontrou o modelo de jogo com os jogadores atuais.

Para a posição de Michel, Villasanti tem sido o titular, com mais dois volantes do lado: Lucas Silva e Bitello. Thiago Santos é o reserva imediato para a primeira posição do meio-campo e tem os jovens Fernando Henrique, Frizzo e Sarará como alternativas.

Nos últimos dois anos, Michel não foi aproveitado no Grêmio – coincidentemente, foi o período em que o jogador enfrentou problemas com lesões no joelho. Em 2020, foi emprestado para o Fortaleza, pelo qual disputou apenas seis jogos. Em 2021, foi para o Vasco e entrou em campo sete vezes.

A última vez que conseguiu ter uma temporada consistente foi em 2019, pelo clube gaúcho. Naquele ano, participou da conquista do título estadual em cima do rival, Inter, e sob o comando de Renato Portaluppi disputou 40 jogos.

Depois do procedimento cirúrgico no ano passado, o volante vive a esperança de dar a volta por cima no Grêmio. Restam 34 jogos pela frente na temporada do Tricolor, e Michel corre atrás do prejuízo pra encontrar seu espaço no clube.



Veja também