A renovação de contrato entre Ferreira e Grêmio está estagnada. O clube foca em recuperar o atleta e colocá-lo à disposição de Felipão. Enquanto o empresário Pablo Bueno viajou nos últimos dias para Kiev, na Ucrânia. Assim, as tratativas foram paralisadas.

A nova negociação tem como objetivo aumentar a multa rescisória de Ferreira, atualmente considerada baixa para o mercado, bem com dar uma valorização ao atleta, entre outros pontos discutidos. Por enquanto, Felipão conta com o jogador.

— Está nos planos. Já voltamos a dialogar. Está fazendo seu trabalho de recuperação física. Ainda vai, no mínimo, uns dez dias de recuperação. Ele sabe que é importante, que gostamos da forma que ele joga. Queremos que exista entre nós uma relação de amizade. Com essa relação fortificada, melhora o nosso ambiente. O Grêmio tem porta abertas — disse o treinador após vitória contra a Chape.Ele vai trabalhar conosco com a vontade que sempre teve, mas com a disciplina que precisa ter. Agora é esperar o dia a dia pra ir ajeitando melhor tudo que aconteceu— Felipão

Ferreira esteve próximo de ser o novo reforço do Atlanta United, dos Estados Unidos, há uma semana. Mas o negócio emperrou e o atacante recusou assinar o documento que efetivaria a transferência, conforme relato do estafe do jogador.

Uma outra tratativa, com um novo clube, não está descartada. O Grêmio entende que nenhum jogador é inegociável. Afora isso, o clube foca em recuperar o jogador, que não atua há mais de um mês por uma lesão no joelho direito. É o mesmo objetivo de Ferreira, que quer voltar o quanto antes.

A janela de transferências para os principais mercados do futebol se encerra no final de agosto. Na teoria, há tempo hábil para um negócio com um atleta que tem multa rescisória considerada baixa. Mas a situação se torna menos provável com o jogador em recuperação clínica.

Ferreira no seu último jogo pelo Grêmio, o empate sem gols no Gre-Nal do Brasileirão — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Ferreira no seu último jogo pelo Grêmio, o empate sem gols no Gre-Nal do Brasileirão — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Afora isso, o clima tenso entre diretoria e o representante Pablo Bueno não colabora para que o assunto da renovação seja tratado com urgência e rapidez. Aliás, a intenção do Grêmio é tratar as conversas com calma. O agente, inclusive, já viajou para Kiev, na Ucrânia, onde mora e acompanha o atacante Tetê, do Shakthar Donetsk.

O fato do empresário estar longe fisicamente da Arena não impede que as conversas ocorram, mas dificultam um possível acerto. Todas as últimas negociações importantes entre as duas partes se deram de maneira presencial nos últimos anos.

Relembre a quase saída de Ferreira

Ferreira tem contrato com o Grêmio até setembro de 2023, vínculo assinado após o imbróglio de 2020. Só que desde maio deste ano, quando houve a sondagem do Dínamo Kiev, da Ucrânia, o assunto “renovação contratual” ganhou força. O motivo era a multa rescisória considerada baixa, que variava entre 8 e 15 milhões de euros, a depender do mercado interessado.

Então, as partes intensificaram as conversas em junho. Ao mesmo tempo, o Al Ain, dos Emirados Árabes, enviou uma proposta de 4 milhões de euros pelo empréstimo de 12 meses. O Grêmio recusou.

Os caminhos levavam a uma renovação. Até que o empresário Pablo Bueno se reuniu com o Grêmio e colocou o interesse do Atlanta em Ferreira. A negociação seria pelo pagamento da multa rescisória, mas as partes envolvidas chegaram a tratar de um valor por um acordo. Ambas ideias não se concretizaram.



Veja também