O verbo “lapidar”, usado constantemente por Renato Gaúcho ao falar das categorias de base do Grêmio, nunca foi tão preciso no processo de evolução dos jovens para o elenco profissional. Na prática, o treinador já lançou 27 garotos desde sua chegada para a terceira passagem no clube.

Conforme levantamento do Espião Estatístico do GloboEsporte.com, 113 jogadores atuaram ao menos uma vez pelo Grêmio desde setembro de 2016, data da chegada de Renato. Desse total, 27 jovens faziam seu primeiro jogo na carreira. Ou seja, 23,89% destes atletas estrearam pelas mãos do ídolo.

— Cada vez mais as políticas que o Grêmio desenvolve vão nesse sentido (da base). Porque contratar pedindo sacrifício aos jogadores, no momento que pede sacrifício a eles, não vai comprar jogadores desse nível. Vai ter que fazer cada vez mais uso da base — destacou o presidente Romildo Bolzan Júnior em entrevista na semana passada.

Matheus Henrique, Everton e Jean Pyerre são crias da base do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Matheus Henrique, Everton e Jean Pyerre são crias da base do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Cabe a ressalva que, da beira do campo, Renato comandou 75 jogadores. Os outros 38 passaram pelas mãos de auxiliares (Alexandre Mendes, Victor Hugo Singnorelli e James Freitas) ou técnicos do time de transição (Felipe Endres, César Bueno e Thiago Gomes).

Porém, Portaluppi sempre esteve envolvido nas decisões de planejamento dos jogos. Na estreia de Jean Pyerre, em março de 2017, por exemplo, o técnico viu dos camarotes da Arena o empate em 1 a 1 com o Ceará, pela Primeira Liga. Felipe Endres comandou a equipe em campo.

“Toda vez que se destaca alguém lá embaixo (base), procuramos lapidar, soltar aos poucos. Assim que se faz com garoto. Não adianta pegar, dar camisa, botar no principal” (Renato, em junho de 2019)

Renato Gaúcho e Pepê em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Renato Gaúcho e Pepê em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Nem todos os atletas necessariamente fizeram suas estreias como profissionais pelas mãos de Portaluppi, mas realizaram a primeira partida no Grêmio a partir de iniciativa do treinador.

É o caso de Pepê. O atacante já havia jogado o Campeonato Paranaense de 2016 pelo Foz do Iguaçu, foi contratado para a base tricolor em 2016 e recebeu a oportunidade no time principal na gestão de Renato.

O mesmo vale para o volante Matheus Henrique, que chegou a jogar a Série A2 do Paulista pelo São Caetano, mas atuou na Copa do Brasil sub-20 de 2017 pelo Grêmio e depois foi para o time de transição.

Ferreira em ação contra o Pelotas — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Ferreira em ação contra o Pelotas — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Ferreira é outro exemplo. O atacante fez sua formação no Tricolor, mas foi emprestado ao Aimoré no ano passado para o Gauchão. Depois, retornou ao clube e ganhava espaço desde o fim de 2019. Só que um impasse em sua renovação contratual afastou-o do grupo principal.

A partir da chegada de Renato Gaúcho, 2017 foi o ano em que mais garotos apareceram entre os profissionais: 16. Depois, com a manutenção de jovens no grupo, as estreias diminuíram.

Naquele time considerado ideal, o Tricolor conta com Matheus Henrique e Everton com passagem por alguma categoria inferior. Além deles, Jean Pyerre, que retornava de lesão antes da parada, também tem status de titular e é formado no Grêmio.

Os estreantes

  • Léo – 2016 com Renato Gaúcho
  • Ty Sandows – 2016 com Renato Gaúcho
  • Emanuel – 2017 com César Bueno
  • Ericson – 2017 com César Bueno
  • Felipe – 2017 com César Bueno
  • Isaque – 2017 com César Bueno
  • Lucas Poletto – 2017 com César Bueno
  • Rodrigo Ancheta – 2017 com César Bueno
  • Ruan – 2017 com César Bueno
  • Dudu – 2017 com Felipe Endres
  • Esperon – 2017 com Felipe Endres
  • Jean Pyerre – 2017 com Felipe Endres
  • Machado – 2017 com Felipe Endres
  • Zé Augusto – 2017 com Felipe Endres
  • Conrado – 2017 com Renato Gaúcho
  • Dionathã – 2017 com Renato Gaúcho
  • Patrick – 2017 com Renato Gaúcho
  • Vico – 2017 com Renato Gaúcho
  • Thonny Anderson – 2018 com César Bueno
  • Brenno – 2019 com Renato Gaúcho
  • Da Silva – 2019 com Renato Gaúcho
  • Darlan – 2019 com Renato Gaúcho
  • Guilherme Azevedo – 2019 com Renato Gaúcho
  • Phelipe Megiolaro – 2019 com Renato Gaúcho
  • Frizzo – 2019 com Victor Hugo Signorelli
  • Lucas Araújo – 2020 com Renato Gaúcho
  • Varela – 2020 com Thiago Gomes


Veja também