Quem pode voltar? Confira a situação dos jogadores emprestados pelo Grêmio

Ao todo, oito jogadores do elenco profissional foram repassados a outros clubes em 2019

29 de novembro de 2019 - Às 19:31

Ao longo deste ano, o Grêmio emprestou para outros clubes oito jogadores de seu elenco profissional. Destes, apenas um terá seu vínculo com o Tricolor encerrado no dia 31 de dezembro e ficará livre no mercado. Outro continuará cedido por força do contrato. Os demais poderão, se for da vontade da diretoria, retornar a Porto Alegre. Confira a situação de cada um deles:

Guilherme (Sport)

Goleador da Série B, com 17 gols, é uma das prioridades do Sport para montagem do elenco de 2020. Depois de repassá-lo a São José, Botafogo, Chapecoense e Coritiba, a direção gremista não dificultaria um novo empréstimo. O problema é que, segundo a imprensa de Recife, a boa temporada rendeu uma proposta do futebol japonês pelo atacante de 24 anos. E, como seu contrato encerra em dezembro de 2020, pode ser mais lucrativo para o Tricolor vendê-lo agora.

— Somos sabedores de que realmente ele tem uma proposta irrecusável. E se essa proposta realmente se confirmar, não é só o Sport, mas pouquíssimos times no Brasil teriam condições de brigar pelo Guilherme — revelou o diretor de futebol do Sport, Nelo Campos.

Rafael Thyere (Sport)

Cedido ao Sport no início do ano, o zagueiro de 26 anos foi titularíssimo da equipe na campanha do vice-campeonato da Série B. Por isso, o objetivo do clube pernambucano é que ele permaneça para jogar a Primeira Divisão.

A boa relação com o gerente executivo Klauss Câmara, que trabalhou na Ilha do Retiro antes de vir ao Grêmio, contribui para uma permanência em Recife. Além disso, se ele voltasse à Arena, seria o quinto zagueiro da hierarquia — atrás de David Braz e Paulo Miranda. Resta saber se, para um novo empréstimo, o Tricolor renovará seu contrato, que vai até dezembro de 2020.

Kaio (Sport)

Dos três jogadores emprestados ao Sport, o volante de 24 anos é o único que não deve ter sua permanência disputada. Em toda a temporada, ele entrou em apenas quatro jogos pelo time nordestino, sendo três pelo Estadual e um pela Copa do Brasil. Ou seja, nenhum pela Série B.

Madson (Athletico-PR)

Na campanha vitoriosa da Copa do Brasil, esteve na reserva — primeiro do experiente Jonathan e depois do garoto Khellven. Porém, na reta final do Brasileirão, assumiu a titularidade. 

Como Rafael Galhardo não deve ter seu contrato renovado pelo Grêmio e Léo Moura tem dificuldade em atuar por jogos em sequência, Madson deve ter sua situação analisada pelo departamento de futebol. O próprio atleta já admitiu que gostaria de permanecer em Curitiba, mas tem contrato com Tricolor até 2021.

Thonny Anderson (Athletico-PR)

Não foi um titular absoluto da equipe paranaense, mas teve boas atuações ao longo da temporada. No título da Copa Suruga, por exemplo, marcou um dos gols na goleada de 4 a 0 sobre o Shonan Bellmare, do Japão. Pela versatilidade — pode jogar como meia e centroavante —, o jogador que completará 22 anos no final de dezembro deve retornar à Arena no ano que vem.

— São dois ótimos clubes, grandes e que disputam os melhores campeonatos do Brasil. Eu deixo na mão deles. Não depende diretamente de mim. Onde eu estiver, vou dar o meu melhor — declarou recentemente o atleta, que está vinculado ao Grêmio até 2022.

Lima (Ceará) 

Depois de se destacar pelo próprio Ceará, na Série B, em 2017, o meia-atacante recebeu oportunidades no elenco gremista, mas não vingou. Por isso, acabou repassado ao Al-Wasl, dos Emirados Árabes, antes de retornar ao Castelão na metade deste ano.

Neste retorno a Fortaleza, porém, não conseguiu o mesmo destaque da outra temporada. Já foi titular na equipe de Adilson Batista, mas perdeu o posto nos últimos jogos. Então, não se sabe nem se o Ceará deseja sua permanência — até porque Adilson foi demitido do cargo. 

Vico (Ponte Preta)

No meio deste ano, o atacante foi emprestado à Ponte Preta até o final de abril de 2020 para, além da Série B, permanecer para a disputa do Campeonato Paulista no ano que vem. Dos 13 jogos que disputou até agora, começou como titular em nove. Marcou três gols, dois deles na mesma partida, contra o Cuiabá. Seu contrato com o Grêmio vai até dezembro do ano que vem.

Henrique Almeida (Chapecoense)

Depois de contratá-lo em 2016, o Grêmio finalmente estará livre do atacante ao final desta temporada. Depois de repassá-lo ao Coritiba, Giresunspor-TUR e Belenenses-POR, o Tricolor emprestou Henrique Almeida à Chapecoense. No interior catarinense, foi titular da equipe, que acabou matematicamente rebaixada nesta quarta-feira. Como seu contrato chega ao fim no dia 31 de dezembro, não precisará voltar ao CT Luiz Carvalho.



Veja também