Foto: Carmelito Bifano

Uma declaração do presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto, no programa Concentração, da Rádio Guaíba, na manhã do último domingo, chamou a atenção quando o dirigente tentava explicar porque comemorou a classificação do Inter como torcedor: “Quase 90% dos árbitros da federação são gremistas”, disse. O mandatário utilizou o exemplo para mostrar que todos que são envolvidos com a entidade organizadora do estadual torcem por uma agremiação, mas que todos tentam fazer o seu melhor, de forma transparente e isenta.

“Talvez tenha exagerado no percentual, mas que, a maioria tem uma caída azul, tem com certeza. O próprio Paulo Pelaipe quando era diretor do Grêmio ligou para vetar três ou quatro árbitros porque eram gremistas e iriam querer provar e iriam prejudicar o Grêmio. Não tem nada a ver. O mesmo exemplo dei no caso com o (Roberto) Siegmann, naquele Gre-Nal que nós ‘brigamos’ no Beira-Rio, que ele queria ‘matar’ o Márcio Chagas porque ele tinha nascido no Olímpico. Ele escolheu? Não, mas o teu presidente (da FGF) e conselheiro é colorado, disse para ele. Aqui está certo e do outro lado está errado? Não tem nada a ver. As pessoas têm que ser transparentes e isentos. E na federação é sempre assim”, afirmou Novelletto.

O presidente lembrou ainda que nunca interfere nos assuntos relativos a arbitragem. Apenas uma exceção ocorreu nesta edição e foi com Diego Real, que marcou um pênalti para o Juventude no final da partida contra o Inter. “É um ser humano e (parte da imprensa e da torcida) passaram um dia todo culpando o árbitro. Um centroavante erra. O zagueiro erra. Ele errou. Ele não foi dar explicação na Federação, mas como eu sabia que ele estava na sede, chamei ele na minha sala para dar uns conselhos e não falamos sobre futebol. Falamos sobre a vida”, revelou o presidente.

Novelletto considera a arbitragem gaúcha a melhor do Brasil, mesmo com os erros que ocorrem, justamente, por considerar os seres humanos falhos. O presidente viu pênalti de Laércio em um lance com Nico López, no jogo do Inter e Caxias, no último domingo, mas isentou o árbitro.

“Vi, foi pênalti, mas foi muito rápido. Os jogadores estavam de costas para o árbitro. Se tivesse que apontar alguém, eu apontaria o auxiliar. Foi o mesmo lance do Ypiranga de Erechim. Lá o bandeira (auxiliar) viu, agora, no jogo contra o Caxias, eu isentaria totalmente o árbitro”, afirmou o mandatário.

Ao ser questionado sobre o campeonato gaúcho de 2017, Novelletto vibrou com a disputa parelha da dupla Gre-Nal contra equipes do interior, mas evitou prognósticos de quem sairá campeão. “Depois que o Novo Hamburgo aprontou para o Grêmio, não espero nada. Não é uma crítica, pois é a melhor campanha. Aconteceu um aborto ontem contra o Grêmio? Não! Ele fez a melhor campanha e temos que respeitar”, disparou o presidente da FGF.



Veja também