Libertadores sempre carrega uma tensão especial. Nesta quarta-feira, o Grêmio vive novamente este clima prévio às quartas de final com o Santos, a partir das 19h15, na Vila Belmiro. Mais ainda com todo o mistério que paira sobre Jean Pyerre, símbolo do bom momento em termos de rendimento e da invencibilidade.

São 18 partidas sem perder. Justamente no período do retorno de Jean ao time, após questões musculares e problemas pessoais fora de campo. Ganhou a 10 no período, por exemplo, e virou uma espécie de rosto do bom desempenho do Tricolor nas três competições.

Nos sete jogos anteriores, Jean tinha anotado quatro gols e dado uma assistência. Fora ter se mostrado determinante também nos passes decisivos a criar espaços nas defesas dos adversários. A ponto da torcida, nas redes sociais, criar o #PyerreDay e inundar com fotos do meia.

Jean Pyerre em ação contra o Guaraní pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Jean Pyerre em ação contra o Guaraní pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

O meia está invicto na Libertadores esse ano, por exemplo, com duas vitórias sobre o Guaraní e o empate em 0 a 0 com o Inter na fase de grupos. Se o retrospecto abranger também a participação em 2019, são mais 10 jogos, com seis vitórias, um empate e três derrotas. Aproveitamento de 66% em jogos da competição.

— Eu obviamente gostaria que ele (Jean) estivesse em campo. É um jogador importante. Vinha em grande fase, dando assistências, fazendo gols. Mas o Grêmio é muito grande para depender somente do Jean Pyerre. Se não jogar, temos que ir lá e classificar igual. O Grêmio é gigante, não podemos depender de um jogador e, na minha opinião, de verdade, acho que não depende — opinou Victor Ferraz.

Na fase anterior da LIbertadores, Jean Pyerre foi decisivo com um gol na vitória por 2 a 0 sobre o Guaraní, no Paraguai, e bom desempenho. Em Porto Alegre, em três minutos encontrou uma brecha para Cortez cruzar para Ferreira. Com a vantagem ampliada, coube ao time só administrar.

Mas foi também frente aos paraguaios que começou todo clima de dúvida sobre o meia. Com a perna pesada, pediu para sair antes do intervalo. O exame após a classificação não mostrou lesão e Jean foi para o banco contra o Vasco. Não seria utilizado, mas dava ares de normalidade.

Contra o Santos, na Arena, ficou fora quando se esperava que tivesse condições. Agora, faz tratamento em três turnos, além dos treinamentos, para começar o jogo na Vila Belmiro. Inclusive, algumas pessoas entendem que o aquecimento vai ser determinante para o meia testar suas reais condições.

Caso não tenha condições, Pinares deve ser o escolhido. O chileno já é cogitado para começar o jogo aberto pela direita, então seria deslocado para o centro com a entrada de Luiz Fernando ou Ferreira.

No período de 18 jogos invictos do Grêmio, Jean Pyerre esteve em campo em 11 partidas e participou de nove vitórias. Claro que não faz as coisas acontecerem individualmente em um time composto por outros 10 nomes. Mas sua presença, além da qualidade técnica, será um ânimo a mais fora de campo.

Jean Pyerre marcou na vitória sobre o Goiás — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Jean Pyerre marcou na vitória sobre o Goiás — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Desde o pedido do meia para deixar o gramado da Arena, o maior clamor nas redes sociais é por novidades sobre o jogador. Renato Portaluppi tenta jogar com a cabeça de Cuca e ordenou que não se vazasse informações sobre as condições do jovem.

Resta ao Grêmio dissipar esse mistério cerca de uma hora antes da decisão. E torcer para a presença de Jean Pyerre, se confirmada, significar a retomada do rendimento coletivo do time.



Veja também