Foto: Lucas Uebel / Grêmio

Há poucas semanas, quando o Grêmio iniciou a pré-temporada com o mesmo time do ano passado, a escalação – do goleiro ao último atacante – era fácil de ser conhecida. E a continuidade era o grande trunfo para a Libertadores da América. Mas o cenário mudou. A 22 dias da estreia contra o Zamora, na Venezuela, a saída de Walace e as lesões no grupo vão alterar a fotografia da equipe.

Além disso, Renato Portaluppi ainda aguarda por reforços para a principal competição que o clube disputará nesta temporada. Até o dia 9 de março, o treinador terá de remontar o time e fazer experiências nas partidas do Gauchão e da Primeira Liga.

“Eu acredito que, de uma forma geral, a nossa equipe vai manter um padrão de jogo, que é de ficar com a bola, rodar bastante e buscar infiltrações”, acredita o goleiro Marcelo Grohe.

As principais preocupações a partir de agora passam a ser as recuperações de Luan e Edílson. O atacante tem uma tendinite no joelho e o departamento médico não estipulou um prazo para o retorno. O lateral sofreu uma lesão na panturrilha e fica cerca de 15 dias parado.

“Temos que aproveitar ao máximo esse tempo até a estreia na Libertadores. Tem a ansiedade para começar logo, é a competição mais importante”, destacou Marcelo Grohe. “Quando alguém se machuca, outro jogador tem a oportunidade de mostrar trabalho. As lesões fazem parte”, lamentou.

Clube segue em busca dos reforços

O Grêmio corre contra o tempo para conseguir trazer um substituto para Douglas e inscrevê-lo na primeira fase da Libertadores. Bruno César, do Sporting, de Portugal, foi oferecido, mas trata-se de um jogador caro, que estaria fora das possibilidades do clube no momento.

A direção também busca um volante para repor a saída de Walace e pelo menos mais um zagueiro. Atualmente, o elenco conta com os titulares Geromel e Kannemann e os reservas Rafael Thyere e Bressan. Já o técnico Renato Portaluppi quer um centroavante de ofício para a Libertadores da América.

Ontem, o clube foi novamente julgado no STJD pela invasão de campo de Carol Portaluppi na final da Copa do Brasil. A multa de R$ 50 mil foi mantida. Por outro lado, o Grêmio teve amenizada a multa pelo uso de sinalizadores e arremesso de bobinas por parte da torcida. O valor, que era de R$ 10,8 mil, passou para R$ 3,8 mil.

Fonte: Correio do Povo



Veja também