Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

vitória sobre o Atlético-MG não foi suficiente para manter o Grêmio na Série A. Com os resultados paralelos, o clube teve o seu rebaixamento para a segunda divisão confirmado. Em sua primeira manifestação após a confirmação da queda, o presidente Romildo Bolzan avaliou a temporada, os erros da gestão e evitou projetar as mudanças na comissão técnica, grupo de jogadores e direção para 2022.

O clube informou que o presidente iria se manifestar em pronunciamento. Mais tarde, foi comunicado que Romildo Bolzan concederia entrevista coletiva para responder aos questionamentos. O mandatário pediu desculpas ao torcedor e reconheceu a culpa da direção pelo resultado. Em uma outra resposta, classificou o momento do Grêmio como “humilhante”.

– Temos que fazer um pedido de desculpas, momento triste para todos nós. Momentos que nos impõe enorme responsabilidade. Não com terra arrasada, recolocar o Grêmio no seu lugar. Fazer uma subida novamente pra elite. Faremos com vigor, perseverança, organizar tudo isso e organizar também a nossa volta. Se tiver evidentemente culpados, poderemos dissecar – lamentou.

Bolzan afirmou que o clube, dentro do Conselho de Administração, começou a analisar as situações que levaram o Grêmio no caminho do seu terceiro rebaixamento. Como aconteceu em outros momentos, o presidente lembrou os casos de Covid-19 que afetaram o grupo no início do Brasileirão como um dos pontos que contribuíram para a queda.

– Fizemos uma transição e um azar antológico da pandemia que comprometeu muito o desempenho. A prova que o plantel não era fraco, acabou reagindo. Fizemos um desempenho que no segundo turno daria uma boa colocação.

Romildo também reconheceu que a reestruturação será iniciada pelo vestiário. Apesar de elogiar alguns jogadores do grupo, o presidente admitiu a necessidade de mudanças no departamento para 2022.

– O negocio do Grêmio é futebol. Não tivemos bom desempenho esse ano. Se o negocio é futebol, o começo da reformulação é no futebol, nova forma de fazer. Novos campeonatos a disputar. Não é conceito de comissão, de elenco, é reestruturação geral. Temos que meter a mão, sim. Se falhamos num campeonato como esse, é porque teve falhas. Se teve falhas, tem que mudar. A primeira reestruturação é num contexto geral, de todas as políticas – comentou.

Romildo não confirmou nenhuma das mudanças que abordou na entrevista. O presidente informou que nos próximos dias as primeiras novidades para a próxima temporada serão anunciadas.



Veja também