O presidente Romildo Bolzan Júnior explicou, em entrevista ao Seleção Sportv, a postura do Grêmio para o jogo da próxima quarta-feira contra o F, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil. O Tricolor ameaça não entrar em campo caso haja torcida na partida do Maracanã.

O dirigente disse que o clube analisa a situação, mas justificou com o acordo firmado entre as equipes em Conselho Técnico na CBF. Além disso, o protocolo de retorno do público aos estádios montado pela entidade diz que “em partidas ida e volta (mata-mata), no caso de um dos clubes envolvidos não ter autorização pelo órgão sanitário local para receber público no estádio, ambas as partidas não terão público”. Segundo Romildo, os clubes aceitaram as medidas e formalizaram um acordo.

– A posição do Grêmio é da isonomia, da igualdade, daquilo que significou o compromisso assumido no início do campeonato e que foi aderido pelo protocolo de retorno. Portanto é uma situação regulamentada, previamente aceita no início do campeonato. Se tornou obrigatório entre as partes e agora fizemos nossa parte, cumprimos nosso jogo e agora esperamos reciprocidade. Nossa posição passa por esse raciocínio – destacou o dirigente.Nós não estamos inventando, ou nem é algo de cavalheirismo. É algo que faz parte do compromisso e daquilo que vincula os clubes pra competição. É um documento e é uma lei. Ele ficou ajustado com efeito de lei para reger o campeonato.— Romildo Bolzan ao Seleção Sportv

Romildo Bolzan, presidente do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Romildo Bolzan, presidente do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Bolzan também foi questionado sobre a reunião ocorrida nesta quarta-feira, quando os 19 clubes da Série A adiaram o retorno do público aos estádios. Houve um acordo unânime para que só haja torcida nas arquibancadas quando todas as praças da competições tiverem liberação. O Flamengo não participou do encontro.

Os clubes se reunirão novamente no dia 28 de setembro para tratar do tema. A intenção é que até lá haja articulação política com as autoridades locais para que ocorra uma volta próxima da uniformidade. A intenção é que não haja discrepância na quantidade de torcedores permitidos.

Como o Flamengo tem uma decisão favorável no STJD que permite a presença de torcida, os clubes irão também entrar como interessados no processo e acompanharão a apreciação do mérito.

– O Grêmio está examinando à luz do regulamento e das consequências, já que está um descumprimento nesse sentido, que o Grêmio possa não entrar em campo. Mas essa uma situação que estamos examinando prevê todas as sequências e o resultado disso é um resultado ético. Aconteceu uma situação X, a reciprocidade, o fairplay do futebol leva pra uma situação de normalidade. Mas se isso não puder ser feito, nós vamos examinar as nossas atitudes de uma maneira mais dura e mais forte – completou.

Nas últimas horas, o presidente do Atlético-MG, Sérgio Coelho, afirmou que pretende respeitar a decisão da maioria. Mas, já que também tem liminar favorável do STJD, se o Flamengo jogar com torcida, garante que o Galo também irá entrar em campo com a presença de seus torcedores.



Veja também