Em meio a negociações no mercado em busca de reforços, o Grêmio também precisa resolver situações internas. O departamento de futebol, por exemplo, é uma delas. Após a saída de três dirigentes da pasta, o presidente Romildo Bolzan vai acumular a função de vice de futebol até a escolha de novos nomes para o departamento, o que deve ocorrer só no próximo ano.

O organograma do departamento de futebol tinha, nos últimos anos, um vice-presidente de futebol, Duda Kroeff, e dois diretores, Alberto Guerra e Deco Nascimento. Os três deixaram o clube nesta semana.

Presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior — Foto: Eduardo Moura

Presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior — Foto: Eduardo Moura

Agora, o dirigente máximo do futebol é Romildo Bolzan Júnior. Ele terá o auxílio do executivo Klauss Câmara, que será o representante ativo do Grêmio nas negociações. E ambos são os principais responsáveis por tocar o departamento.

A substituição dos nomes deve demorar pelo menos até janeiro. Gustavo Schmitz, Assessor da Presidência nas categorias de base, é uma das alternativas para o cargo de vice de futebol.

Como a gestão atual de Romildo se encerra agora em dezembro – o presidente foi aclamado para um novo mandato –, Schmitz entrega o cargo e se coloca à disposição para qualquer novo desafio.

Nas redes sociais, a torcida faz campanha e pede o retorno de Odorico Roman, conselheiro do clube e vice de futebol na conquista da Libertadores, em 2017, e diretor na Copa do Brasil em 2016.

No Conselho de Administração, alguns nomes já passaram pelo futebol em outros momentos, como Adalberto Preis e Marcos Herrmann. No entanto, nos bastidores ninguém confirma qualquer alternativa para o cargo e nem a formatação do departamento.



Veja também