Preparador físico implanta ideias em três meses e ainda vê margem para melhora no Grêmio

Reverson Pimentel diz que equipe irá crescer para momento decisivo de competições e explica métodos

9 de junho de 2021 - Às 07:14

Nesta quarta-feira, Reverson Pimentel completa exatos três meses desde seu anúncio como novo preparador físico pelo Grêmio. Apesar de satisfeito com o nível do elenco, a margem de crescimento ainda é grande, conforme dito pelo próprio em entrevista ao ge. Também revelou as dificuldades dos atletas depois dos casos de Covid-19 — alguns perderam até quatro quilos.

No bate-papo, Pimentel detalhou os métodos de trabalho no Grêmio e apontou que direciona as atividades individualizadas para que o ápice seja em um momento de decisão. Inclusive, o período está mapeado pelo clube e definido.

— Comparamos nos vídeos dos jogos, com os dados e mostramos para os atletas. A evolução dele, o quanto estão melhorando e o quanto podem treinar para melhorar. Procuro colocar uma forma de o atleta competir com ele mesmo. Os níveis vão subindo, mas temos margem grande de crescimento. Não é uma competição, mas crio que o parâmetro máximo do atleta e precisamos sempre subir um degrau. Teve melhora e ainda vai ter — avaliou ao ge.O que posso afirmar é que vamos chegar nas competições, no período da temporada que temos que dar a resposta física, no momento ideal.— Reverson Pimentel ao ge

Reverson Pimentel, preparador físico do Grêmio — Foto: Reprodução

Reverson Pimentel, preparador físico do Grêmio — Foto: Reprodução

A atual temporada não deu tempo para o Grêmio realizar uma pré-temporada. Diferente de outros anos, o calendário de 2020 atropelou o de 2021. Um dos diagnósticos da diretoria foi da necessidade de melhorar a capacidade física do time.

Por isso, uma das estratégias é otimizar todo e qualquer período de treinamento para condicionar os jogadores. Mesmo que sejam poucos minutos no aquecimento de partidas ou treinos. Para isso, também é preciso que os atletas estejam totalmente imbuídos em se dedicar, diz Pimentel.Dois ou três minutos de aquecimento se torna um trabalho físico. Quando falo do entendimento é porque o atleta precisa ser intenso, fazer no máximo. Um simples aquecimento de jogo, se o atleta não entra, se torna treino.— Reverson Pimentel

A chegada de Reverson foi anterior à mudança no comando da comissão técnica. Quando o nome de Tiago Nunes foi confirmado, o preparador buscou informações dos tipos de trabalhos realizados e viu atividades já semelhantes.

Reverson Pimentel (E) comanda aquecimento do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Reverson Pimentel (E) comanda aquecimento do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A rotina prevê chegada dos atletas às 14h45 na academia se o treino estiver marcado para as 15h30, por exemplo. A comissão se reúne semanalmente para montar a semana de trabalho e faz ajustes diariamente.

— Aproveitamos cada trabalho para criar atalhos e estar melhorando o jogador ao mesmo tempo fisicamente, tecnicamente e taticamente. Um simples trabalho de rondo, que para alguns é um aquecimento, se torna uma valência física para criar hábito de antecipar, roubar a bola, na parte técnica com os passes e posicionar na parte tática para fazer o passe — aponta o preparador.

Casos de Covid mudam planejamento

O olhar mais individualizado também existe nos casos de jogadores afastados por Covid-19. A reação de cada um é diferente diante da doença. E isso requer tratamentos distintos quando os atletas estão de volta aos trabalhos.

Diego Souza, Ferreira, Rafinha, Luiz Fernando e Pedro Lucas já estão integrados aos treinos. Todos passaram por avaliações com fisiologia e fisioterapia antes de ir para o campo.

O nível de exigência e de cargas colocadas também acaba sendo amarrado por conta da necessidade de adaptar o cenário. Alguns atletas perderam, por exemplo, quatro quilos. A equipe estava evoluindo, mas Reverson precisou segurar o ritmo após perder muitos atletas com Covid-19.

— Teve atletas que perderam quatro quilos, atleta que perde massa muscular, atleta que perde massa muscular em membro inferior, que tem dificuldade cardiorrespiratória, que quando vai fazer trabalho, tem dores musculares. Aí vamos adaptando para que o atleta não corra risco de lesionar ou ter algo mais grave para que a gente possa deixá-lo apto para jogar — detalhou.

Reverson Pimentel em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Reverson Pimentel em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

As avaliações estão ocorrendo dia a dia. Os três primeiros devem estar à disposição para o jogo com o Brasiliense, na quinta, mas a definição ocorre nesta quarta justamente para analisar como responderam aos trabalhos após a recuperação.

Pimentel chegou ao Grêmio depois de um processo seletivo. Estava no projeto do RB Brasil desde 2017 e depois comandou o setor na fusão com o Bragantino até março de 2020. Também tem experiência em Ceará, Bahia, Goiás, Vitória e Joinville, entre outras equipes.



Veja também