A Prefeitura de Porto Alegre divulgou nota nesta quarta-feira e afirmou que não vai liberar a presença de público dos estádios na capital gaúcha em jogos de Grêmio e Inter pelo Campeonato Brasileiro. Os municípios de Caxias do Sul e Pelotas, que possuem times na Série B, afirmam que também manterão o veto.

As autoridades firmaram posição após o Ministério da Saúde aprovar um estudo da CBF com a proposta de liberação de 30% do capacidade de público nos estádios. A entidade que organiza o futebol brasileiro convocou uma reunião com os clubes por videoconferência nesta quinta-feira para debater o assunto.

Arena, Beira-Rio, Grêmio, Inter — Foto: Montagem sobre fotos/ge

Arena, Beira-Rio, Grêmio, Inter — Foto: Montagem sobre fotos/ge

Por meio de uma nota oficial, o prefeito Nelson Marchezan Júnior justificou sua posição de proibir a presença de torcedores nos estádios da capital – se referindo à e Arena, do Grêmio, e ao Beira-Rio, do Inter.

– A prioridade da Prefeitura de Porto Alegre neste momento é a educação e, na sequência, os setores que não tiveram ainda oportunidade de funcionar. Somente após cumprida esta etapa é que deverão ser discutidas novas flexibilizações. Apesar da estabilidade da curva de transmissão e da ocupação de leitos de UTI, o Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus entende que ainda é prematuro liberar 30% da capacidade nos estádios, que no caso da Capital, seriam cerca de 15 mil pessoas em cada estádio – disse o prefeito.

ge entrou em contato as assessorias das prefeituras de Caxias do Sul e de Pelotas, que manifestaram a mesma posição. A primeira cidade é sede do Juventude e a segunda o Brasil de Pelotas, ambos clubes participantes da Série B. O time de Caxias também disputa a Copa do Brasil.



Veja também