Desde a chegada ao Grêmio, em 2018, Alisson tornou-se uma espécie de talismã da equipe. Não figura entre os artilheiros, mas coleciona gols decisivos em momentos importantes. Os ensinamentos do técnico Renato Gaúcho vão ao encontro do desempenho do atacante em pouco mais de dois anos de clube.

Conforme o Tricolor, Alisson esteve presente em 35 partidas de mata-mata, fez nove gols e deu cinco assistências. A participação efetiva mais destacada remonta às oitavas de final da Libertadores de 2018, contra o Estudiantes, quando marcou aos 47 minutos do segundo tempo e levou o duelo para os pênaltis, com vitória gremista.

– Uma vez ficou muito gravado o que ele (Renato) falou para mim, que ele tem poucos gols, mas sempre foram muito importantes. Desde quando cheguei ao Grêmio, acho que tivesse privilégio também, de fazer gols importantes e que ajudaram a conquistar títulos – afirmou Alisson em entrevista à Grêmio TV.

Na espera da retomada dos jogos neste período de pandemia do coronavírus, o jogador fica na expectativa de conquistar o tricampeonato gaúcho pelo Grêmio. O clube decidiu treinar em Santa Catarina para conseguir incluir trabalhos coletivos no dia a dia. Mas o campeonato estadual segue sem data para voltar.

— É conquistar novamente. Tinha muitos anos que (o Grêmio) não conquistava o Gaúcho. Já ganhou dois e está caminhando para brigar pelo terceiro. Caso aconteça de voltar, esperamos dar essa alegria ao torcedor num momento tão delicado que vivemos — destacou Alisson.

Alisson atacante Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Alisson atacante Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

O Gauchão está paralisado desde 16 de março. O Grêmio tem três jogos a cumprir na fase classificatória do segundo turno, contra Inter, Ypiranga e Novo Hamburgo. É o primeiro colocado do Grupo B, com nove pontos.



Veja também