Uma das maiores urgências do Grêmio é — o tempo verbal está perto de ir para o passado — buscar lateral-direito. A escolha por Orejuela, do São Paulo, se deu pelo perfil de atletas procurados pelo clube gaúcho para a temporada e a lacuna aberta a ser preenchida. Além disso, o clube já tinha apreço e só não contratou em definitivo o jogador há um ano por uma atitude do Cruzeiro na negociação.

O negócio não foi assim, mas é quase uma troca com o São Paulo, que acabou de acertar com Rafinha, titular em boa parte de 2021 em Porto Alegre. Orejuela preenche as características citadas pelo vice de futebol Denis Abrahão: velocidade e força.

A ideia é ter esses dois pilares no time de 2022 para a Série B. O colombiano possui as características, embora sem sequência no São Paulo e no próprio Grêmio, seus últimos clubes. Sofreu com lesões e atuou apenas 15 vezes na temporada, com um gol e uma assistência.

— Sou adepto do futebol força. Hoje em dia, tem duas valências no futebol que são a força e a velocidade. Claro que tem que ter qualidade. Agora, um time jogando para frente, amassando, gosto disso. Gosto de abafa, dedicação, confronto. A Série B tem que jogar desta forma — disse Denis Abrahão em entrevista para a RBS TV.

Orejuela em último jogo pelo Grêmio, contra o Santos, pela Libertadores de 2020 — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Orejuela em último jogo pelo Grêmio, contra o Santos, pela Libertadores de 2020 — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Além disso, o colombiano completou 26 anos em agosto de 2021. O Grêmio também já deixou claro que procura jogadores com “vitalidade”, como citou Vagner Mancini, e em faixa de idade menor em relação aos liberados nos últimos dias. Rafinha, por exemplo, fará 37 em 2022.

Quase compra em 2020

Outro ponto é que o Grêmio conhece o jogador de perto. Inclusive, tinha interesse em permanecer com Orejuela para a temporada 2021 após a passagem por empréstimo junto ao Cruzeiro. Só que a postura dos mineiros nas negociações complicou a relação à época.

O time gaúcho tinha tudo acertado com a Raposa, mas mudanças de última hora causaram o recuo. O São Paulo apareceu alguns meses depois e contratou o jogador por cerca de R$ 13 milhões, enquanto os gaúchos pagariam próximo dos R$ 18 milhões.

— Achamos uma situação bastante desconfortável depois de termos acertado e me pareceu intransponível. Por consequência disso, o negócio foi desfeito por iniciativa do Cruzeiro. Eu lamento muito, gostávamos muito desse jogador — comentou o presidente Romildo Bolzan Jr. à época das tratativas.

Uma lesão muscular do lateral também complicou a situação. O jogador teve um problema grave na coxa esquerda em dezembro, na reta final da passagem pelo Tricolor.

Um ano depois, o Grêmio deve receber Orejuela novamente por empréstimo, para a disputa da Série B. Curiosamente, o lateral havia deixado o Cruzeiro, no início de 2020, justamente por conta do rebaixamento, já que o clube não conseguiria arcar com seus salários devido à queda de receitas.



Veja também