Pepê deu mais um passo para assinar com o Porto. O atacante realizou exames médicos no último sábado e, caso seja aprovado, assinará o contrato de cinco anos com a possibilidade de renovação por mais um. A expectativa é que o ato seja selado ainda no Rio de Janeiro, onde o Tricolor está para o duelo com o Botafogo nesta segunda-feira.

Para sacramentar a negociação, o Porto desembolsará 15 milhões de euros (R$ 97,1 milhões pela cotação atual). Deste montante, o Tricolor receberá 10 milhões de euros (R$ 64,7 milhões). O restante é do Foz do Iguaçu, clube que revelou o atacante e detém 30% dos direitos.

O pagamento ao Grêmio será realizado de forma parcelada em quatro vezes, conforme apurado pelo ge. As parcelas serão debitadas em junho e agosto de 2021 e janeiro e junho de 2022. O Foz do Iguaçu receberá sua parte em agosto de 2022.

Pepê será reforço do Porto no segundo semestre de 2021 — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Pepê será reforço do Porto no segundo semestre de 2021 — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

A negociação será a quarta maior da história do Porto. Só ficará atrás dos 20 milhões de euros pagos por Óliver Torres e Imbula e os 19 milhões deu euros desembolsados para contratar Hulk.

No acordo entre as partes, Pepê fará um seguro para evitar prejuízos em caso de lesão. O camisa 25 seguirá no Grêmio até dia 7 de junho e poderá atuar nas finais da Copa do Brasil contra o Palmeiras, nos dias 28 de fevereiro e 7 de março.

O Tricolor terá direito a 12,5% da “mais-valia”. Ou seja, caso Pepê seja vendido, tal fatia será paga pelo valor que exceder os números da negociação atual.

Pepê tem contrato com o Grêmio até 2024. O atacante de 23 anos estrou no time profissinal em 2017, mas só no ano seguinte começou a ser aproveitado com mais frequência. Em 2020, ele assumiu o protagonismo da equipe com a venda de Everton Cebolinha ao Benfica. Na atual temporada, acumula 52 jogos, com 15 gols marcados.



Veja também