m momento de turbulência na temporada, o Grêmio volta a disputar uma de suas especialidadesPentacampeão da Copa do Brasil, o Tricolor inicia a disputa das oitavas de final às 21h30 desta quarta-feira, contra o Juventude, no Alfredo Jaconi.

Com fama de “copeiro”, o time de Renato Gaúcho chega escudado pelos títulos recentes da própria Copa do Brasil, em 2016, da Libertadores, em 2017, da Recopa, em 2018, e também pelo bicampeonato estadual. No último mata-mata, aliás, superou o rival Inter na final do Gauchão.

É verdade que os desfalques continuam. São sete no total: Leonardo Gomes, Paulo Miranda, Kannemann, Bruno Cortez, Marinho, Luan e Diego Tardelli. Por outro lado, Renato contará com os retornos do capitão Maicon e Jean Pyerre.

Há dois jogos sem vencer depois da classificação na Libertadores, o Grêmio tem a má fase no Brasileirão para espantar. Em cinco rodadas, somou apenas dois pontos e é o 18º na tabela. A “virada de chave” citada pelo atacante Marinho após a derrota para o Ceará pode trazer novos ares aos tricolores.

Histórico na Copa do Brasil

O retorno do Grêmio ao período de vitórias tem relação justamente com a Copa do Brasil. O primeiro título de magnitude após o hiato de 15 anos ocorreu justamente no torneio nacional. Em 2016, já sob a batuta de Renato, o Tricolor levantou a taça pela quinta vez.

A equipe esteve próxima da eliminação justamente nas oitavas de final, na reestreia do maior ídolo como técnico. Mas superou o Atlético-PRcom o brilho de Marcelo Grohe e seguiu em frente. Depois, passou por Palmeiras, Cruzeiro e Atlético-MG para ficar com o título.

Venceu também a competição em 1989, 1994, 1997 e 2001. Só é superado em troféus pelo Cruzeiro, que tem seis.

Retrospecto no mata-mata

Um dos orgulhos do Grêmio é ser chamado de “copeiro”. Uma das principais canções entoadas nas arquibancadas remete justamente a isso.

Com Renato no comando, o time acumula taças em torneios mata-mata: além da Copa do Brasil, vieram as taças da Libertadores, em 2017, e a Recopa, em 2018.

Mesmo no ano passado, quando não ficou com o tetra continental, chegou às semifinais, mas caiu para o River Plate em uma partida polêmica na Arena.

O sucesso em competições eliminatórias aparece também no Gauchão, do qual é o atual bicampeão. Em abril, foi campeão estadual em cima do maior rival em dois confrontos sem gols, mas repleto de emoção na disputa dos pênaltis.

Supremacia contra o Juventude

O desempenho do Grêmio contra o adversário desta noite é mais do que positivo nos últimos anos. São cinco vitórias e apenas um empate em seis jogos, com 18 gols marcados e um sofrido. Aliás, há três anos o Tricolor sequer sofre um gol do Juventude.

Nesta temporada, nas quartas de final do Gauchão, o Tricolor goleou por 6 a 0 em pleno Jaconi, com empate em 0 a 0 no jogo de volta. A última derrota ocorreu no distante 21 de abril de 2016, quando levou 2 a 0 pelo duelo de ida das semifinais do estadual.

 


Veja também