Aos poucos, a sombra de Marcelo Grohe começa a se desvencilhar de Paulo Victor. Desde que o ídolo se transferiu para o futebol árabe, a torcida parecia insegura quanto ao substituto escolhido para ser o goleiro titular nesta temporada. Mas depois da decisão de quarta-feira, quando defendeu três cobranças na disputa por pênaltis, Paulo Victor aumentou e muito o seu crédito com o torcedor.

Ele mostrou segurança nos dois jogos da final, fez boas intervenções, e na hora em que foi chamado acabou sendo decisivo para mais uma conquista de título do Grêmio. “O Paulo Victor é um grande goleiro, assim como o Júlio César (contratado no início da temporada). A prova está aí, os dois jogaram durante o campeonato e o Grêmio só levou um gol. Temos que agradecer também o trabalho do Rogerião (Rogério Godoy, treinador de goleiros) e do Ênio (Oliveira, auxiliar). São eles que treinam os goleiros e merecem os parabéns”, destacou Renato Portaluppi.

“Eu falei para ele antes das cobranças que ele daria o título para o Grêmio. Prometi dar R$ 50 mil, até porque título não tem preço. Para mim é muito (R$ 50 mil), mas para o clube não”, brincou Renato. O goleiro sempre ressaltou que necessitava de sequência de jogos para se firmar no time. “Eu sempre soube da minha responsabilidade em vestir essa camisa. Estou muito feliz com o título”, disse.



Veja também