Lucas Uebel / Grêmio/Divulgação

Foi diante do já rebaixado e pior time do Campeonato Brasileiro, mas os dois gols contra o Botafogo com boa atuação podem servir para Matheus Henrique ganhar a confiança que faltava para retomar o protagonismo no Grêmio. Com o final da temporada se aproximando, a recuperação do camisa 7 é um fator visto como decisivo para o Tricolor alcançar a vaga direta na Libertadores de 2021 pelo Brasileirão e chegar mais tranquilo para a disputa do título da Copa do Brasil contra o Palmeiras.

Alçado ao time titular durante a Libertadores de 2019, Matheus Henrique teve uma ascensão rápida e, no mesmo ano, foi convocado por Tite para defender a Seleção Brasileira nos amistosos contra Senegal e Nigéria. No começo de 2020, o garoto esteve na disputa do Pré-Olímpico, onde o Brasil obteve a classificação para os Jogos de Tóquio, iniciando a temporada em alta.

Essa curva ascendente na trajetória do volante de 23 anos não teve continuidade na volta do futebol após a parada de quatro meses em razão da pandemia. Matheus Henrique até teve bons momentos na temporada, mas conviveu com altos e baixos ao longo dos jogos.

Ex-volante gremista, Carlos Gavião treinou Matheus Henrique na categoria sub-17 do Grêmio, em 2013, quando o jogador teve a primeira passagem pelo clube. Gavião acredita que a presença de Maicon, que voltou a ser titular após quase dois meses, ajudou a potencializar o futebol do camisa 7.

— O Matheus precisa de um jogador que complete o seu estilo, o que é o caso do Maicon. Um procura o outro com aproximação. O Matheus Henrique sofre quando tem ao lado um volante mais de passe longo e pouca aproximação, talvez isso pese para a adaptação dele ao Lucas Silva. O Maicon toca e se aproxima, isso ajuda ele — avalia Gavião, campeão da Copa do Brasil de 2001 pelo clube.

Por conta da dificuldade física de Maicon, o Grêmio só teve sua dupla titular de volantes desde o início em 14 das 56 partidas desde a volta do futebol, em julho. Contra o Botafogo, Renato Portaluppi posicionou Maicon como o primeiro passe na saída de bola dando liberdade para Matheus Henrique se aproximar da área de ataque. Ex-volante do Tricolor e atualmente treinador, Pingo acredita essa estratégia mostrou-se acertada e deve ser mantida para a reta final da temporada.

— O Renato é inteligente e está deixando um jogador de muita qualidade na saída, o Maicon, que sabe encurtar e conhece os atalhos. O Grêmio assim tenha uma saída espetacular com o Maicon, que é um jogador que sabe cadenciar e dar velocidade na bola. Tem que dar velocidade na bola na transição. O Matheus pode chegar na frente e também voltar para marcar quando o time perder a posse — observa o ex-atleta, que vê Matheus Henrique concentrado a recuperar o melhor futebol.

— A situação do Botafogo pode favorecer pela dificuldade que eles passam, mas também mostra o foco. Quando um jogador vai muito bem em uma partida como essa é porque está motivado. A partida em si não tem muita motivação pela situação do Botafogo e o Matheus Henrique se mostrou concentrado —completa Pingo, que conquistou a Copa do Brasil de 1994 pelo clube.

Se Maicon potencializa Matheus Henrique, o ex-meia Osvaldo pensa que a subida de produção do camisa 7 tem impacto direto para Jean Pyerre também voltar a viver um bom momento.

— É sempre bom para o meia quando tem o volante se aproximando e até passando da linha da bola. Ajuda o meia e também os atacantes. Você tem maior possibilidade de encontrar o passe. Com certeza isso vai acontecer com o Jean Pyerre. Espero que esse trio funcione para que o Grêmio volte a apresentar aquele futebol que conhecemos — completa o campeão da Libertadores e do Mundial, em 1983.

Mesmo que o Botafogo seja o pior time do Brasileirão, a vitória no Rio de Janeiro pode ser significado um primeiro passo para uma retomada do Grêmio tendo Matheus Henrique em alta ao lado de Maicon e Jean Pyerre no meio-campo. Um teste mais forte virá na domingo, quando o Tricolor receberá o São Paulo, na Arena, em confronto direto na briga por vaga no G-4.

Números de Matheus Henrique

Os números gerais  até não apresentam muita diferença na atual temporada em relação à anterior. Os dados detalhados do Campeonato Brasileiro, no entanto, mostram que o volante foi mais participativo nas ações de passe e também de desarmes em 2019. 

No Brasileirão 2020

  • 28 jogos (27 como titular)
  • Gols: 2
  • Assistência: 1
  • Passes por jogo: 60,21 (91% de acerto)
  • Desarmes: 1,1 por jogo

No Brasileirão 2019

  • 20 jogos (todos como titular)
  • Gol: 0
  • Assistência: 1
  • Passes por jogo: 73,69 (92% de acerto)
  • Desarmes: 1,6 por jogo

NÚMEROS TOTAIS

Na temporada 2020:

  • 50 jogos
  • 3 gols
  • 1 assistência
  • 1 expulsão (Bahia)

Na temporada 2019:

  • 46 jogos
  • 1 gol
  • 3 assistências


Veja também