Foto: Lucas Uebel

Depois do primeiro round da final da Libertadores, em que o Grêmio venceu o Lanús em Porto Alegre por 1 a 0 em partida cercada de tensão e polêmicas, o clima esquentou para os 90 minutos derradeiros na próxima quarta-feira, na Argentina. A diretoria tricolor se movimenta com representantes da Conmebol para se cercar de cuidados na segurança para a decisão. E já protocolou o recurso para cancelar o cartão amarelo e a consequente suspensão do zagueiro Kannemann na próxima partida. No campo, o técnico Renato Gaúcho procura fazer ajustes na equipe titular – antes, no domingo, os reservas enfrentarão o Atlético-GO, pelo Brasileirão, na Arena do Grêmio. Para o jornalista Maurício Saraiva, do SporTV, a equipe precisa melhorar. Principalmente na frente.

– O Renato está fazendo a outra parte de dentro do campo, que é ou corrigir os problemas e manter a escalação, e isso certamente não será dito oficialmente até a hora do jogo, até a hora em que tem que divulgar a escalação… Ou ele, nos treinos fechados, vai começar a testar alternativas a quem não vem funcionando. E quem não está funcionando não é só o Fernandinho, que dá tudo o que tem, entrega o melhor que tem, mas não está sendo o suficiente. O Barrios não está funcionando. O Barrios, quarta-feira, foi menos que o Jael quando entrou – disse Saraiva, no “Seleção SporTV”.

O comentarista do SporTV disse que o problema no ataque foi maior do que no meio-campo, principalmente por parte de Barrios, que não desempenhou bem suas funções.

Para jornalista, Barrios não está funcionando no Grêmio

– Talvez o Renato não vá fazer mudanças, duas, três, dentro do time, logo numa final. Mas há posições que estão em aberto para ele poder testar, para ele ver qual é a alternativa que pode funcionar melhor. E aí essas duas me parecem fundamentais. Mais até do que o primeiro volante, onde o Jaílson deu uma resposta que o Michel, me parece, poderia dar melhor… Mas o Jaílson foi bem. Michel pode esperar. Lá na frente é que foi problemático. Porque a verticalidade não houve via Fernandinho, e o Barrios não teve a conclusão, não teve o pivô, não teve a participação. O Renato deve estar tratando disso.

Maurício Saraiva lembrou também que a entrada de Cícero melhorou sensivelmente o rendimento da equipe, e aí, no caso, Renato Gaúcho teria que mudar o desenho tático da equipe.

– O Renato vai tratar de melhorar o futebol do time dele, que ganhou mas jogou pouco. Que tem o modelo que ele está conservando, mas me parece que está pedindo passagem para um outro caminho. Seja via Éverton, no lugar do Fernandinho, seja com o Cícero, para mudar o desenho, mas tem um Cícero que joga nas duas áreas, dá mobilidade. Não faz a ala, nas faz a extrema, mas ele pode mudar o desenho, e o time ficar legal.



Veja também